Um novo ato está marcado para acontecer em Paraisópolis, zona sul de SP

Antes disso, partidos políticos progressistas cobram ações do Governo e órgãos ligados ao Estado

Enquanto isso, partidos progressistas na Assembleia Legislativa de São Paulo tomaram medidas para elucidar de maneira mais rápida o caso de mais uma ação desastrosa da Polícia Militar do governador João Doria.

O Baile da 17 (DZ7) seguia com 5 mil pessoas, na madrugada de sábado para domingo (1), quando a polícia começou uma ação de dispersão violenta, conforme relato de moradores e vídeos espalhados pelas redes sociais, com o uso de bombas, balas de borracha e muita pancadaria que culminou na morte de 9 pessoas. Por isso, partidos progressistas com mandatos de deputados na Assembleia Legislativa de São Paulo, como o PT e o PSOL e PC do B elaboraram e encaminharam ofícios e requerimentos:

Para a Secretaria de Segurança Pública 

🔘 investigações sejam realizadas pela Corregedoria da Polícia Militar

🔘 fatos sejam apurados com rigor, inclusive com relação à cadeia de comando que ordenou a ação.

🔘 proteção de testemunhas e familiares das vítimas

🔘 reunião urgente com o Secretário.

Para a Promotoria de Justiça de Direitos Humanos do Estado de São Paulo e Grupo de Atuação Especial do Ministério Público do Estado de São Paulo para o Controle da Atividade Policial

🔘 Investigação independente do Ministério Público;

🔘 Identificação da cadeia de comando que ordenou a ação da PM;

🔘 proteção de testemunhas e familiares das vítimas

Para o Núcleo de Direitos Humanos da Defensoria

🔘 acompanhar as investigações;

🔘 proteção de testemunhas e familiares das vítimas;

🔘 ações de reparação das vítimas e responsabilização pelas violações;

🔘 ações estruturais de adequação da atividade policial aos parâmetros nacionais e internacionais de proteção aos direitos humanos.

Categorias
DestaquesDireitos HumanosGeralSão Paulo
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta