Preto Claudinho

  • Preto Claudinho iniciou sua vida profissional como engraxate, se filiou ao PT em 1998 e engajou-se com o Movimento Negro e Hip H

Seu trabalho se tornou referência e destaque por dar voz à população pobre e periférica e foi por isso que alcançou o cargo de Coordenador de Políticas para a Juventude do Município – no governo Haddad – ocasião em que sugeriu ao prefeito a escolha do disco “Sobrevivendo no Inferno” do grupo Racionais para presentear o papa – mesmo disco que mais tarde se tornou leitura obrigatória para o vestibular da Unicamp. 

Dentre outras ações em sua gestão, concretizou a inserção da Casa Ângela de Parto Humanizado no SUS, articulou a troca da iluminação do Jardim Monte Azul para iluminação de LED – mais econômica e segura para a população –  e também a reforma do CDC Monte Azul. 

Sua trajetória de vida foi baseada em: negritude, família, política, Hip Hop, periferia e cultura de rua. Em outras palavras: em resistência. Uma história que traz legitimidade para que Claudinho faça o seu melhor como representante do povo preto e favelado. 

  • Propostas de Preto Claudinho:
  • Mandato coletivo;
  • Fortalecimento dos Coletivos culturais;
  • Defesa das vidas negras;
  • Cidadania real para a população em situação de rua ;
  • [yotuwp type=”playlist” id=”PLqs8hLeY15Pm7qdqTuDEtHGN4UhI2cCa9″ ]

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS