Projeto Futuro do Presente, Presente do Futuro #51 – Dani Sandrini: Quarantine

Dani Sandrini apresenta o 51º ensaio do Projeto Futuro do Presente, Presente do Futuro - Imagens que narram nossa história
Dani Sandrini

Quarantine. Chegou aquela semana em março onde tudo parou e começou oficialmente a pandemia no Brasil. Número de casos aumentando – e a caixa de emails  recebendo, a cada hora, mensagens de cancelamento dos trabalhos e projetos do semestre inteiro.

Foram 2 semanas com diversos sentimentos contraditórios e aquele futuro absolutamente incerto estava lá, na nossa frente, pronto para gerar mais dúvidas.  Vendo as notícias, fico sabendo que mais de um terço da população mundial estava em quarentena ou, ao menos, com restrições de circulação.

Se na rua o medo era dominante, era do portão pra dentro que, quem podia, estava lidando com sentimentos novos, desafios, conflitos e adaptações na rotina.

Nas privações do convívio social, as pessoas que antes passavam o dia cheio de atividades de trabalho e lazer, estavam agora num convívio intenso consigo mesmas ou com outros membros da família. Pequenos atos do cotidiano ganhavam  outra dimensão. Convívio com outras pessoas só acontecia através das telas dos aplicativos.

Tentando entender esse outro jeito de viver que se apresentava e percebendo que os desafios de cada um variavam muito dependendo de suas condições psíquicas, financeiras, familiares e geográficas, resolvi iniciar um projeto fotográfico via tela de computador com a seguinte pergunta: como é que estão as pessoas que então dentro de casa?

Assim nasceu o projeto “Quarantine”, onde busco retratar em esfera íntima da casa das pessoas esse momento tão preocupante e trágico quanto histórico e mundial.

Através de um depoimento sobre a experiência pessoal e familiar neste momento de pandemia, eu e o participante decidimos um recorte da rotina que poderia ser retratado fotograficamente durante uma chamada de vídeo. A partir daí, o ensaio fotográfico acontecia.

São muitos os diálogos e trocas durante esse processo. E ao ser convidada a adentrar na casa destas pessoas, busquei ângulos, luzes e poesia para representar a história que a pessoa resolveu contar. 

As imagens foram feitas a partir de chamada de vídeo – e claro que isso dá uma textura da própria tela, assumida como linguagem dessa época em que estamos e das ferramentas possíveis referentes ao encontro.

A internet ganhou uma super importância nesses tempos, e quem vive em grandes cidades onde sua presença já está tão naturalizada muitas vezes nem se dá conta de que uma parcela grande no mundo não tem nem acesso a isso. Nem pra trabalhar, nem pro próprio lazer.

Então, esse já é um recorte do projeto: uma parcela da população, com pouquíssimo acesso à internet, não pôde estar presente no projeto.

As diferenças de condições financeiras, geográficas, psíquicas são gritantes no mundo todo. A pandemia só coloca uma lupa nisso tudo. Então, não se trata de algo que acontece só agora, mas a pandemia nos dá a oportunidade de ampliar essa percepção e, quem sabe, proporcionar uma reflexão sobre as diferenças, dificuldades e injustiças do mundo.

Dani Sandrini
Dani Sandrini
Dani Sandrini
Dani Sandrini
Dani Sandrini
Dani Sandrini
Dani Sandrini
Dani Sandrini
Dani Sandrini
Dani Sandrini
Dani Sandrini
Dani Sandrini
Dani Sandrini
Dani Sandrini

MiniBio

Dani Sandrini é fotógrafa desde 1998, e tem em seu currículo reportagens, ensaios, retratos, gastronomia, palco e interiores, além do desenvolvimento de projetos especiais em diversas áreas. A partir de 2012 começa a dar mais ênfase a seus projetos autorais, transitando entre a fotografia e as artes visuais. É nessa época também que começa a estudar psicanálise e faz a sua formação de acompanhante terapêutica.

Em 2014, ganhou o primeiro prêmio no The International Lens Award, Festival de Imagens de Amã, pelo projeto Two Cities.

Em sua pesquisa autoral, estuda o entrelaçamento de materiais e suportes com a imagem fotográfica,  a ação da memória e a passagem do tempo. Seu último projeto, terra terreno território,  sobre indígenas da cidade de São Paulo, conta com imagens impressas em folhas de plantas e papéis sensibilizados com pigmentos naturais, e foi exposto na Biblioteca Mario de Andrade (SP) de outubro a dezembro de 2019.

.

Para conhecer melhor o trabalho da artista

http://danisandrini.com.br/

https://www.instagram.com/quarantine_danisandrini/

https://www.instagram.com/terraterrenoterritorio/

https://www.instagram.com/dani.sandrini/

.

O projeto Futuro do Presente, Presente do Futuro é um projeto dos Jornalistas Livres, a partir de uma ideia do artista e jornalista livre Sato do Brasil. Um espaço de ensaios fotográficos e imagéticos sobre esses tempos de pandemia, vividos sob o signo abissal de um governo inumanista onde começamos a vislumbrar um porvir desconhecido, isolado, estranho mas também louco e visionário. Nessa fresta de tempo, convidamos os criadores das imagens de nosso tempo, trazer seus ensaios, seus pensamentos de mundo, suas críticas, seus sonhos, sua visão da vida. Quem quiser participar, conversamos. Vamos nessa! Trazer um respiro nesse isolamento precário de abraços e encontros. Podem ser imagens revistas de um tempo de memória, documentação desses dias de novas relações, uma ideia do que teremos daqui pra frente. Uma fresta entre passado, futuro e presente.

Outros ensaios deste projeto: https://jornalistaslivres.org/?s=futuro+do+presente

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

Pandemia do ódio: Bolsonaro e Hitler se sobrepõem - Foto: Reprodução

Estamos vivendo a pandemia do ódio

A máquina de ódio, mentiras e manipulação desencadeada por Bolsonaro e seus aliados, já intoxicou profundamente a sociedade brasileira