• O amor em tempos de crack

    Diz a Ela Que Me Viu Chorar é um daqueles filmes que você se mexe na cadeira do cinema a todo momento. Algo angustiante, algo que incomoda, e incomoda muito. As personagens vão sendo apresentadas. Um universo muito distante de você. Pessoas que usam “crack” que tentam uma saída...
  • Negro Matapacos, o revolucionário

    Matapacos foi um famoso cão viralata que apareceu nos protestos de estudantes para a educação gratuita em 2010, desafiando o gás lacrimogêneo e os canhões de água e acompanhando os estudantes como um companheiro leal em sua luta, apenas atacando ou latindo para os “pacos” (gíria chilena para “policiais”)...
  • Pelourinho estremece em homenagem ao mestre Moa

    Homenagem ao Mestre Moa de Katendê, que foi brutalmente assassinado por um seguidor do candidato Jair Bolsonaro reúne aproximadamente 10 mil pessoas no Pelourinho, Salvador, Bahia. Grupos de capoeira, blocos afro, representantes de religiões de matriz africana, integrantes do movimento negro, se vestiram de branco para lembrar Mestre Moa...
  • Vitória! Vitória! Vitória! O Parque Augusta é uma realidade!

    VITÓRIA! VITÓRIA! VITÓRIA! PARQUE AUGUSTA É UMA REALIDADE! Assinado! Após uma luta de décadas, com direito a meses de uma ocupação artística exigindo sua criação e o nascimento de um movimento da sociedade civil em sua defesa, finalmente o Parque Augusta é uma realidade. São Paulo ganha um novo...
  • Em ato simbólico, Guaranis encenam a “cura” dos colonizadores

    Representantes indígenas Guaranis das aldeias do Jaraguá, São Bernardo e Parelheiros, e Tupinambás da Bahia, fizeram esta semana um ato contra o genocídio do povo indígena e cobrando pela demarcação das terras já, em pleno Páteo do Colégio, ponto zero da construção portuguesa da cidade de São Paulo. O...
  • O pixo sempre existiu, existe e existirá!

    O maldito da vez é o pixo. De acordo com os legislados que representam a cidade, o problema é o pixador. Ok. Não é educação precarizada, não é saúde ineficaz, não é a segurança problemática, não é moradia insuficiente, não é transporte decente, não é o combate à violência....
  • Me perdoe, Dona Marisa, mas eu não consigo conter a raiva em certas horas

    Dona Marisa, não conheci a senhora. E olha que até poderia, se eu fosse um pouquinho mais insistente. Várias vezes a senhora passou bem perto, mas não arranhei o protocolo e não a cumprimentei. Teve uma vez que a senhora ficou sozinha sentada num sofá a poucos metros de...
  • Desculpem-me mas hoje não vestirei branco.

    Desculpem-me mas hoje não vestirei branco. Não comerei 3 uvas, não rezarei, coisa que nunca fiz. Não fecharei meus olhos para alguma contemplação silenciosa. Perdoem-me. Não jogarei ramalhetes de flores ao mar, mesmo que eu estivesse próximo de algum, não libertarei pombas brancas, ratos do ar, para respirar pretensa...
  • De braços abertos, Lancetti!

    Outro dia voltei a andar pelas ruas da Luz. Sozinho, hora do almoço. O sol gritava e lá no fundo, aquelas nuvens temerosas de tempestade. Nossa, o cheiro, os barulhos, os gritos, os latidos. Tudo continuava igual. E algo me deixava tranquilo. Aquele lugar, quem diria, me acalmou o...