EDITORIAL: AGORA, LULA É FERNANDO HADDAD E MANUELA D’ÁVILA, 13

O lançamento da campanha de Haddad em frente à sede da Polícia Federal, onde Lula  está preso, mostra que o PT irá reforçar o discurso da injustiça contra o ex-presidente

Defronte à Polícia Federal, onde Lula encontra-se preso há cinco meses, o anúncio da candidatura de Fernando Haddad para presidente, com Manuela d'Ávila, vice: sem sorrisos

Por decisão unânime da direção do Partido dos Trabalhadores e com a bênção de Lula, Fernando Haddad é o candidato do PT à Presidência da República do Brasil. A deputada Manuela d’Ávila, do PCdoB, completa a chapa como candidata à vice-presidência.

O ex-presidente Lula, preso há cinco meses, teve sua candidatura barrada pelo Tribunal Superior Eleitoral, que alegou enquadramento na lei da Ficha Limpa. Entretanto, os juízes-carrascos de Lula nem sequer conseguiram demonstrar que o ex-presidente seria possuidor do apartamento tríplex do Guarujá, em que a família Lula da Silva nunca passou uma noite, do qual nunca recebeu a escritura, nunca tomou em suas mãos a chave.

Para condenar Lula, a (in)Justiça Brasileira ainda teria de comprovar que o tríplex fora recebido como pagamento por atos em benefício da Construtora OAS. Como prova não havia, restou aos carrascos de Lula a vergonha com que passarão à História: condenaram-no em primeira e em segunda instâncias, esgrimindo o argumento da pura infâmia: o apartamento que foi sem nunca ter sido de Lula seria resultado de “ato de ofício indeterminado” em benefício da OAS. Indeterminado: desconhecido, não existente. Moro condenou por um ato que reconheceu desconhecer, inexistir. E essa decisão esdrúxula foi reafirmada na segunda instância.

Desculpem-nos os leitores que conhecem nosso posicionamento, mas é mais uma vez necessário repetir:

Lula é inocente.

Lula é inocente.

Lula é inocente. 

Mesmo assim, seus algozes insistiram na farsa, como forma de criminalizar o ex-presidente Lula, trancafiá-lo numa masmorra, impedi-lo de correr o país e dialogar com os brasileiros sobre como lhes melhorar a vida. Tudo fizeram para que Lula fosse impedido de disputar a eleição presidencial, porque sabiam que ele novamente seria carregado nos braços do povo para reocupar o Palácio do Planalto. Desprezaram provas concretas apresentadas por seus advogados, desprezaram duas decisões do comitê de Direitos Humanos da ONU, que reafirmou ter Lula o direito de disputar as eleições.

Não contava o consórcio Judiciário-Midiático-Empresarial, porém, com a força da liderança de Lula, que mesmo preso é objeto do amor declarado dos pobres e miseráveis que ele resgatou para a cidadania, com políticas públicas distributivistas.

Preso, Lula tornou-se uma idéia, como ele disse. E é essa inteligência que acaba de decidir: a próxima grande batalha, agora, é eleger Fernando Haddad e Manuela d’Ávila.

O lançamento da campanha de Haddad-Manuela em frente à Polícia Federal, onde Lula está preso, mostra que o PT irá reforçar o discurso da injustiça contra o ex-presidente, o nosso Mandela, o perseguido pelos poderosos, o mártir do povo pobre. Presentes estavam Dilma Rousseff, Gleisi Hoffman, Lindbergh Farias, Luiz Eduardo Greenhalgh e outros dirigentes do PT.  Não se viam os rostos risonhos, típicos de campanhas eleitorais. Os semblantes estavam crispados pelo drama da injustiça contra Lula, pela responsabilidade gigantesca diante da História, pela incrível tarefa à frente: honrar a luta do povo por Justiça e pelo fim da dantesca desigualdade social brasileira.

A possibilidade de o PT vir a ganhar a eleição já fez com que a bolsa desabasse e o dólar atingisse a estratosférica marca dos R$ 4,18. É a chantagem do Capital, mostrando suas garras como sempre. Nova pesquisa Ibope deverá ser divulgada hoje.

Para o PSDB, o dia foi péssimo, visto que o ex-governador do Paraná Beto Richa foi preso hoje. Isto deverá ser sentido nas próximas pesquisas.

Parece claro que a cruel Plutocracia Brasileira, escravocrata, genocida do povo negro, machista, vendida ao Imperialismo, já fez sua escolha por Jair Bolsonaro.

A eleição presidencial que ocorrerá em 25 dias colocará diante dos brasileiros o desafio de escolher entre a Democracia e o Fascismo. Nós já escolhemos nosso campo: lutaremos e formaremos com o povo; com a Democracia; com Haddad e com Manuela!

Por Lula e pelo Brasil para os brasileiros.

Manuela e Haddad: pro Brasil ser feliz de novo

Mídia democrática, plural, em rede, pela diversidade e defesa implacável dos direitos humanos.

Categorias
desobediência civilDestaquesEleições 2018GeralLula Livre

Mídia democrática, plural, em rede, pela diversidade e defesa implacável dos direitos humanos.
Um comentário
  • Inácio da Silva
    12 setembro 2018 at 20:23
    Comente

    Pergunta: se Lula é Haddad, pode-se concluir que Haddad também é criminoso???

  • Deixe uma resposta

    AfrikaansArabicChinese (Simplified)EnglishFrenchGermanItalianJapaneseKoreanPortugueseRussianSpanish