Arte e educação de mãos dadas em BH rumo ao #OcupaTudo

Foto-reportagem de Maxwell Vilela, para os Jornalistas Livres

Foto: Maxwell Vilela / Jornalistas Livres
Foto: Maxwell Vilela / Jornalistas Livres

Os secundaristas de BH não ficam atrás na onda de ocupações do país. Os artistas Flávio Renegado e Pedro Morais estiveram visitando escolas para um bate papo com os alunos, falaram sobre o poder das ocupações e a necessidade e importância delas para o momento político, bem como o impacto delas na opinião publica.

photo_2016-10-31_16-13-24
Foto: Maxwell Vilela / Jornalistas Livres

Eles também falaram da atenção das mídias para o assunto, e os próprios jovens se manifestaram com cartazes dizendo da invisibilização da pauta na imprensa tradicional.

photo_2016-10-31_16-13-51
Foto: Maxwell Vilela / Jornalistas Livres

Sobre o que está acontecendo no país com a PEC 241, os aulões seguem por todo o país, e na visita os artistas passaram nas escolas Santos Dumont, Jucelino Kubitschek, e Maria Carolina Campos situadas na região de Venda Nova em Belo Horizonte para, entre abraços e apresentações, dar força para os alunos, a maioria entre 14 e 18 anos.

photo_2016-10-31_16-13-37
Foto: Maxwell Vilela / Jornalistas Livres

Para eles, os alunos deram um show de responsabilidade e representatividade com agendas organizadas por mulheres, trans, lesbicas e homossexuais.

photo_2016-10-31_16-13-21
Foto: Maxwell Vilela / Jornalistas Livres

As ocupações por si só já são uma aula de empoderamento.

photo_2016-10-31_16-13-42
Foto: Maxwell Vilela/ Jornalistas Livres

Flávio Renegado explica a visita falando sobre a potência da luta conjunta dos secundaristas com a classe artística. “O sentimento de democracia e liberdade é que nos movimenta e movimenta esse juventude. Isso tem que ser cuidado e incentivado. Seguiremos lutando!”

Foto: Maxwell Vilela / Jornalistas Livres
Foto: Maxwell Vilela / Jornalistas Livres

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

Hoje Maria Marighella é a entrevistada no Programa JORNALISTAS LIVRES ENTREVISTA. Atriz, mãe, militante e produtora cultural. Herdeira de uma família de tradição militante. Maria

NÃO À PRIVATIZAÇÃO DO METRÔ BH CONTAGEM

PELA AMPLIAÇÃO DO METRÔ PÚBLICO, COM PARTICIPAÇÃO POPULAR E TARIFA SOCIAL! O Bloco Esperando o Metrô, reafirma sua posição contrária à privatização da Companhia Brasileira

Quem segura essa quebrada

Quem segura essa quebrada?

O Café com Muriçoca de hoje traz duas indicações de livros: “Viela Ensanguentada”, de Wesley Barbosa, e “O Pé que ficou naquela estação”, de Nina Barbosa.