Porque a flecha é o som

a curvatura do espaço-tempo

A ficha:

Nome completo: Matsipaya Bepkoti Beppakrejti Waura Txucarramãe
Idade: 24
Povos: Mebengokre- Kayapó e Waura.

Há um novo matiz, percebo bem, na alvorada dos povos tradicionais, o tom, o timbre, o ritmo.

É índio do Brasil e luta contra a opressão. Não tenha medo, seja você em qualquer lugar, ouço feliz em tempos difíceis. Não dá para fugir do que tenta nos atingir.

O depoimento:

E eu sou índio do Brasil e luto contra opressão,

E nessa nova era a minha flecha é o meu som. 

Que chega com respeito pra honrar os ancestrais,

Meus heróis mebêngôkrê de borduna e coca.

Que lutaram bravamente contra a ordem nacional,

Deixando com orgulho a herança florestal,

Que hoje vem sofrendo com o marco temporal,

E ruralistas destruindo o patrimônio natural.

E eu não ficar parado vendo mundo sucumbi,

Nesse jogo nebuloso que não da pra fugir,

Vou buscar a minha paz pra eu poder sorrir,

Lado a lado com a família, pra nós poder seguir,

Na resistência contra pec que tenta impedir,

Alimentado o preconceito que tenta nós atingir.

Não tenha medo!

Tamos juntos nesse mundo pra unificar

Jamais se cale!

Seja você em qualquer lugar

Não tenha medo!

Acredite em você e vai brilhar

Jamais se cale!

Seja você em qualquer lugar! 

E não adianta nós tratar como um marginal,

Por que o direto de ir e vir, é constitucional, 

E não venha me falar que todo índio é igual,

Cada um é cada um com seu legado ancestral.

Mostrando à você a cultura milenar,

Através da resistência e do seu linguajar,

Defendendo a nossa terra que tenta nos tirar,

Abalando o governo que tenta nos matar.

Eles usam a economia pra poder explorar,

Colando fazendeiro pra nos amedrontar,

Invadindo eles vem matando líderes kaiowá,

 E sem saber do proceder ás crianças vão chorar.

 E lá na frente da esplanada vamos juntos reivindicar,

Por isso todos gritam demarcação já.

Não tenha medo!

Acredite em você e vai brilhar

Jamais se cale!

Seja você em qualquer lugar

Não tenha medo!

Tamos junto nesse mundo pra unificar

Seja você em qualquer lugar!

Seja você, seja você, seja você

E é por isso que eu lhe digo somos uma só nação,

E nessa harmonia agente faz revolução,

Por que a luta continua e eu sigo essa missão,

Fazendo do amor a minha libertação.

E no meio desse caos eu me criei em meio a rua,

Sempre em conexão com arte e sua cura,

Assim eu fui crescendo na quebrada observando,

O racismo oprimindo e matando vários manos,

Que estão na correria e lutando pela vida,

Por isso eu não nego a Amazônia esta na mira,

Mas por ela eu vou lutar e jamais vou arregar,

Se no protesto a policia começarem a atirar.

Não tenha medo!

Tamos juntos nesse mundo pra unificar

Jamais se cale!

Seja você em qualquer lugar

Não tenha medo!

Acredite em você e vai brilhar

Jamais se cale!

Seja você em qualquer lugar!

A nova era.

Categorias
crônica
Um comentário
  • Ana Maria Silveira
    16 março 2019 at 18:55
    Comente

    Hélio Carlos, gosto muito das coisas que escreve. Tem muito sentimento e realidade.
    Gostaria que passasse ao Matsipaya que o que ele escreveu é muito lindo, muito verdadeiro. A grande maioria dos brasileiros tem sangue indígena. Para orgulho nosso. A grande maioria também respeita e admira essa reserva cultural, musical, ciente das preciosidades que a natureza nos oferece e que tão bem são preservadas pelos povos da floresta. As cores da Bandeira do PTB getulista são a negra, a branca e a vermelha, simbolizando nosso povo, hoje acuado, oprimido, vítima do desgoverno e da ganância, do desrespeito e da covardia…
    Mas Matsipaya está certo:
    Jamais se cale.
    Não tenha medo.
    Seja você em qualquer lugar.
    Um grande abraço.

  • Deixe uma resposta

    AfrikaansArabicChinese (Simplified)EnglishFrenchGermanItalianJapaneseKoreanPortugueseRussianSpanish

    Relacionado com

    • Qual é tua inquietação?

      É positiva a placa que indica a contramão de nossas modas, pois índio não é a festa que insiste na avenida, mas em protesto ocupa seu lugar na cabeça...
    • Morre Tepori Kamaiurá, grande matriarca do Xingu

      por Nina Kahn Uma triste notícia para os povos do Alto Xingu. Tepori foi uma importante mulher de seu tempo. Faleceu Tepori Kamaiurá, uma grande mulher do Alto Xingu....
    • Parceria ou barbárie

      Acordo cedo e sei que o dia trará duras penas, desatinos, protuberâncias. Os olhos já nem enxergam tanto diante de fac-símiles desfocados, mas a verdade insiste, pedra, diamante duro,...
    • Até quando o voto será um ato de vingança?

      ARTIGO RODRIGO PEREZ OLIVEIRA, professor de Teoria da História na Universidade Federal da Bahia Hoje, quando ouvimos falar em “democracia”, naturalmente pensamos em eleitores indo periodicamente às urnas para escolher...