Mais recentes: crônica

  • AS FORMAS QUE A VIDA TOMA E O QUE SE COME

    Banhava-me na lagoa, céu azul em riste e observava uma abelha presa na membrana d’água, que por descuido no voo, era agora presa fácil para uns pequenos peixes, alevinos de grandes espécies, que me beliscavam também, em uma limpeza gratuita de pele. Abelha é bicho de respeito, pois não...
  • A REVOLUÇÃO DOS BICHOS

    Índios me falam coisas graves, me contam seus assombros e temores. Os animais estão revoltos, dizem. É a onça, é o peixe, são as aves e suas árvores. É tempo de vigiar, descubro. Não estou só entre matas, cerrados e campos, pois os homens são muitos, assim como infinitas...
  • O TRIBALISMO, LUGAR SEGURO, SEM FIM

    Corri tantos riscos que creio no amor. Afinal, no começo era o ovo e sobre ele a bunda de Deus. É a vontade que determina e seus afagos. Tudo tem seu canto, seu lugar e hora. Vou comprar um macacão  e me tingir de graxa para ver se você volta...
  • SEU NOME

    A liberdade de Lula é água que corre entre pedras. Quem anda no trilho é trem de ferro, diria o poeta Manoel de Barros. Liberdade caça jeito. Coisas de vento e fogo é falar de nossa miséria sem sermos pobres, pois rico é viver nessa terra, mas nos custa...
  • Dos gafanhotos e formigas.

    Darcy Ribeiro foge do túmulo. É o fim dos tempos. Hamilton Mourão assassina, numa fala só,  Gilberto Freyre, Sérgio Buarque de Holanda e Caio Prado Júnior. Voa Milton Santos, voa Ianni, tudo acha saída, acredita a poesia. Mas mortos são mortos, mais ameaçam os vivos. Desde Drummond sabemos das...
  • Os selos e as bolsas

    Aquele era o dia de ir aos correios postar livros autografados na hora do almoço, para encontrar os guichês vazios. Naquele bairro todo mundo era envolvido com o comércio on line e as duas agências postais ficavam lotadas à tarde, principalmente a não terceirizada que aceitava pagamento feito por...
  • LAMENTO E GRATIDÃO.

    É domingo na avenida. Entre faixas de pedestres há lamento, gratidão, paixões ou indiferenças.   Cientistas brasileiros, estudantes e bolsistas protestam contra ameaça de corte nas bolsas de pesquisa anunciadas pelo governo enfadonho desse perverso momento. Como avatares, Hare Krishnas rompem a maresia dos escapamentos, colorem receios, encantam os...
  • DAQUELES QUE PARTEM NA LUA VERMELHA.

    A ordem das árvores altera os passarinhos? questiona canção na rádio durante a noite da grande lua. Ropndo, velho velho Suyá, Kĩsêdjê, morreu na lua de sangue, partiu durante o mais longo eclipse lunar do século. Mesmo com o sol entre seus beiços preferiu uma noite de lua inédita...
  • PEIXE FRESCO COM FARINHA FINA.

    Há uma flor, fruto aprimorado pelas etnias xinguanas, o pequi, que prenuncia a fartura da vida em equilíbrio. Coisas lindas se anunciam nesta época. Crianças correm atrás de flores como se fossem borboletas, brinquedos e brincadeiras inventam-se na época da flor de pequi. O olhar às vezes fala de...
1 2 3 6