Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Enquanto o general solta fogo pelas ventas, afirmando que o mato se mata, se incendeia voluntariamente, dois indígenas se destacam na consciência da nação. Ailton Krenak e Sônia Guajajara mantêm acesa a chama, estima e préstimo de um país que quer ser feliz, verde, lugar de vida e de água.

Lesa-pátria aquele que cala, insanos poderes que pregam desenvolvimento pela destruição do meio ambiente.  Por mais que doa, continua limpa a palavra na mensagem dos povos originários, o planeta corre riscos, a mãe terra. 


https://jornalistaslivres.org/o-modo-de-funcionamento-da-humanidade-entrou-em-crise/

Tantas são as ameaças, mas a primavera insiste e traz vida. A 62ª edição do Troféu Juca Pato 2020, homenageia Ailton Krenak como intelectual do ano. Também a voz da mulher indígena, Sônia Guajajara, ecoa pelo mundo, denunciam os riscos que transpassam os povos indígenas e seus lugares de direito.

Pensar índio é pensar o planeta.

https://www.ube.org.br/materias.php?cd_secao=58&codant=&friurl=-Vencedor-JUCA-PATO-2020-

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

>