Helio Carlos Mello

  • MUITOS SÃO OS CANTOS

    Borboletas com plumas invadem o eixo do poder entre as asas. Pensou o urbanista que um dia a esplanada, em sua junção, estaria entre barracas ocupando o plano? O Acampamento Terra Livre se faz piloto nesse momento e a grande aldeia se instala entre poderes. A Carta Magna de...
  • A LIBERDADE DA CURA

    Brasília está mais luminosa nessa manhã e uma brisa fresca parece envolver os que estão atentos. Algo lembra um quadro de Tarsila do Amaral em cena e cores, numa mistura dos Operários com Abaporu, uma escuta e expectativa. Se o Estado brasileiro é um homem que come gente, aqui...
  • ENTRE PRESIDENTE E ÍNDIO

    Na tarde amena em dia de descobrimento, fiquei por horas em 22 de abril, numa calçada da capital  entre memoriais a observar gestos em bronze consolidados. É sábado, e sábado na capital do país é dia sem palavras, só cabe ao ser ciente de si e sua solidão observar....
  • DESEMBARQUE PELO LADO ESQUERDO DO RIO

    Antigamente olhava-se o mundo grande e o horizonte refletia o céu, tal um espelho da verdade.  Certo dia Cunhã pôs o inhame no pilão, como fazia todos os dias no preparo do alimento. Cunhã levantou muito a mão de pilão em seus amassamentos e partiu o espelho, que aos...
  • O ODOR DO REFÚGIO E A DOR DA FUGA

    O ambiente das entranhas é escuro e sua fuga cheira a feno pisado por muitos. O espaço é redondo e o tempo é curvo  no chão perverso de nosso espanto. Pessoas dormem refugiadas da morte que as espreita no centro da sala em um conto sírio. Da imagem que...
  • ÍNDIO NA ESCOLA

      Quinze anos atrás, quando, nos horários de folga, a equipe que eu integrava ia descansar um pouco durante o intenso trabalho em área indígena, víamos muitos grupos de crianças andando pela aldeia ou nadando na beira do rio a qualquer momento do dia, um jovem amadurecimento nos aprendizados...
  • FRAGMENTO E SÍNTESE

      Ligar a tv logo cedo num pequeno quarto de hotel no interior do país é desentender-se dos fatos nos telejornais matutinos. Abre-se a janela e uma menina vai à escola à beira do rio, um menino faz gol de bicicleta entre guris e o homem ergue a parede...
  • A CARNE FRACA DOS PEIXES

    Tempo difícil para os bichos no país em ponte para o futuro. Está um azougue a paisagem vindoura e em seu punhal perdem-se as árvores, os biomas se aniquilam para a morada dos animais, finda-se nosso romantismo no terceiro milênio. De repente chegou a pílula do desenvolvimento novamente para...
  • O CÉU NÃO BEIJA

    No céu os indígenas trazem suas tradições e constelações, como a onça e o veado, no firmamento desenhados, um a caçar o outro. Vejo no céu do Xingu muitas estrelas, pequenos pontos de luzes brilhantes como OVNIs cruzam sempre o espaço, em grande número fazem trânsito, mas prontamente um...
1 2 3 5