Helio Carlos Mello

  • MUNDO INSONE, MUNDO TORTO

    Nessa madrugada pensava insone no significado da palavra PARECER. Lembrei-me de Um Rio Chamado Tempo, Uma Casa Chamada Terra, onde o escritor Mia Couto, indo ao encontro de seu morto, escreve: e onde encontrar a razão daquele castigo, de quem seriam as culpas? Dava medo até indagar sobre as...
  • PERDENDO OS LIMITES

    Respeito e gratidão são palavras que não rimam com mercado, economia ou capital. Em 2015 deu-se em Paris a Assembléia dos Guardiões da Mãe Natureza, a qual reuniu representantes indígenas, organizações do planeta preocupadas com a qualidade de vida dos povos originários, que chamaram a atenção para o fato...
  • ENTRE LUIZ E MANOEL

    O poeta Manoel de Barros escreveu certo dia que é mais fácil fazer da tolice um regalo do que a sensatez. Pergunto-me o que pode haver de comum entre o voo das borboletas e o discurso de um ex-presidente? E como continua o poeta Manoel, tudo que não invento...
  • HUKA HUKA

    De repente um passo. E a onça invade o território, encaram-se firmes no olho alheio e o confronto se dá. Huka Huka, a luta tradicional dos povos do Alto Xingu, arte marcial dos Kamaiurá, jogo ritual que com a vida se confunde, dando aos mortos sua honra na existência...
  • EU MESMO MENTINDO DEVO ARGUMENTAR

    Era 2013 e os índios em polvorosa mantinham-se. As janelas e portas se fechavam, tudo mentia, desafinado. Tudo foi tão rápido, vejo hoje, mas e as caras, seguem com suas marcas? Insone ocasionalmente, nessas noites frias, sempre me encontro, insônias aos golpes nos surpreendem. Os do sul sei que ao...
  • ALDEIA DOS TUCUNS

    É noite ainda na aldeia e no círculo de suas grandes casas, sem divisões, o fogo aquece enquanto o céu indaga. Se no mito Yawalapiti foi na fumaça do tabaco assoprada sobre toras de madeira que se fizeram os homens, na noite o silêncio ocupa o imaginário e os...
  • DO ALIMENTO QUE À ALMA SE SOMA

    Dos antigos sabemos que o que se come é o que se pensa. Nem tão velhos assim comíamos comida original,  quando palavra transgênico era fábula. Tudo tão rápido reverte, em nossos estômagos ainda se busca rumo e trama. De tudo resta um pouco, nosso cheiro, um gosto, seus valores....
  • O PAI SOLTEIRO DAS ÁGUAS

    A barranca vermelha reluz ao crepúsculo que se anuncia, como carne na margem, morada de martins-pescadores e papagaios que, em furos na terra elevada, fazem seus ninhos. O Xingu vai juntando suas esposas ao longo de cada curva das águas e, galante, recolhe suas mulheres em diversos afluentes. Nas...
  • SE ÍNDIO AMEAÇA, SEI BEM, É EM SUA GRAÇA

    A motocicleta leva a mandioca da roça à casa para ser ralada e o polvilho dá o pão em folhas. Facilitar a vida é bom e os instrumentos são muitos ao cotidiano que insiste. Chegávamos à beira, muitas seriam as horas sobre água lisa no motor cinquenta, cifra de...
1 2 3 7