Helio Carlos Mello

  • CAI DE BOCA.

    Cair de boca é frase entre espelhos, causa vários inversos e perspectivas. No domingo de carnaval é uma odisseia entrar no metrô, a cidade está toda na rua. Todas as fantasias e perturbações estão à mostra, toda aparência é permitida nos vagões sob a terra numa folia. Vou para...
  • Yamurikumã.

    Quando nasci descobri que havia índio, um anjo de cocar pousou na laje da maternidade. Quando crescia descobri nas páginas dos diários e livros no prelo que ainda índio se via, em todo canto aparecia. Já adulto e pai, fotojornalista fui para as aldeias a convite de Sofia Mendonça,...
  • ORGANIZAMENTE.

    O tal presidente quer vender as águas que em rios se fazem e nos aquíferos se escondem. Fico soturno no imaginário e grandes tatus vejo nos sonhos, estrangeiros, tatus de olhos rasgados e pelos loiros, ruivos, tão lisos. Na terra incidem tantos tatus, comem nossos tabus e outros bosteiam...
  • CAROLINA ERA SEU NOME BRASILEIRO.

    Agora morreu Carolina, matriarca Kaiabi, Kawaiwete, da humanidade. A antiga senhora que sempre andara com seu cajado ao equilíbrio dos homens e no mundo. Partiu a pouco. Todos os velhos estão a arrumar suas bagagens, estão partindo. Diante da morte não há recursos e todo mundo tem direito igual....
  • OS BICHOS NO BRASIL DOS FATOS.

    É cobra, é anta, é trairão, é macaco, é onça. Será que são as florestas do Brasil e seu fim que dão aos motes a cara e tom de animais? Não sei, ando como com piolhos na cabeça, a coçar a cuca, a coçar ideias. Lula falou que pisaram...
  • PARA AS ÁRVORES NADA.

    As velhas e grandes árvores não votam, ao contrário, sombream. Os seres mais ameaçados são as árvores, os mais quietos, os mais fracos, os mais velhos. Nunca veremos árvores protestando nas ruas, defendendo o direito à terra, direito à moradia, direito à água ou aposentadoria. Se a renda aumentou...
  • TERRA NOVA E APRENDIZ

    Entro no metrô no meio da tarde desta segunda-feira. Meus novos amigos, jovens aprendizes indígenas, querem mostrar-me uma nova terra reconquistada. Eu, já nos pêlos brancos, vou com eles aos desbravamentos de Guarulhos, a vizinha e insólita cidade da capital maior. Muitos daqui se surpreendem ao saberem da grande...
  • MULHER INDÍGENA PRESIDENTE.

    O olhar não faz curvas. Sempre em ângulo reto enxergamos o horizonte e seus redondos, quadrados e quinas. Na visão periférica há plumas. De repente, no escuro dos dias, sente-se o cheiro de urucum, flor de pequi no mato, um cheiro de onça que estranha ronda as cidades e...
  • AINDA RESTA.

    Quando se anda em veredas, solidão plena, o homem pensa no encontro da saída. A vida, sempre surpreendente, te mostra, te ensina, não o deixa esmorecer por mais intensa que seja a sede e a fome. Talvez nasça aí a palavra sabedoria entre dúvidas e seus descaminhos. A educação...
1 2 3 12