Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

É certo que o Sol se encontrava com sangue e para isso era necessário tomar certas providências.

Nhãu” (Temepĩyãu nãu), anaconda-men. Drawing by Takara Wauja (1980). Acrylic on paper, 70 x 50 cm. Museum of Archaeology and Ethnology of the University of São Paulo, Vera Penteado Coelho Ethnographic Collection (WD80-303).

Fico pensando num texto antigo,  Um Eclipse do Sol, de Vera Penteado Coelho, https://www.persee.fr/doc/jsa_0037-9174_1983_num_69_1_2229 , onde o  sangue do Sol afetava muita gente que necessitava proteção adequada para não ser contaminada.

Pajé Itsautako Waurá, em cuidados com a saúde.

Entre abusos de autoridade, minha cabeça sai do lugar, enquanto mais de mil morrem na peste, dia a dia. País doido o meu, poderes insanos, lambe saco, beija pés, no dito popular. Desde 1987 carrega advertências, vejo nas manchetes, um desembargador da república, desmascarado, de Santos.

Queimam a Amazônia, o Pantanal, o Cerrado, a serviço do agro outros negócios,  ao ponto de negarem provimentos necessários à saúde dos povos indígenas e outras minorias.

País pobre esse, sem milagres meu ou seu, na mente e perfídia dos homens e seus poderes. Nem ouso pronunciar nomes, palavras assim não devem sair da boca, alimentar insanidades de demônios.

Sigmund Freud, médico neurologista e psiquiatra criador da psicanálise

Talvez seja a psicopatologia de uma vida cotidiana, nem sei se Freud explicaria, mas vivemos  tempos de tirar o fôlego, um véu, o desvelar, viés, um país enigmático.

COMENTÁRIOS

  • POSTS RELACIONADOS

    >