Mais recentes: crônica

  • RUA 57.

    Encontro Alcides em seus 42 anos, na esquina da rua 4 com a 9, no centro de Goiânia. Em seus olhos há moços risonhos, uma alegria peralta. Alcides vende seus limões na calçada, orgulhoso da qualidade de seus frutos, pés de fruta que ele mesmo plantou em seu quinhão...
  • RESISTÊNCIA AO GOLPE

    Artigo de Rodrigo Perez Oliveira, professor de Teoria da História na Universidade Federal da Bahia* Resistência, temos aí aquele tipo de palavrinha bonita, que não tem como ter conotação negativa. A resistência é sempre bem-vinda, cercada de certo romantismo. É na resistência que nascem os heróis. “Estar na resistência”...
  • Há um curto-circuito no coração do golpe

    Artigo de Rodrigo Perez Oliveira, professor de Teoria da História na Universidade Federal da Bahia* Acho que poucos de nós duvidam que a palavra “corrupção” é o termo chave da crise brasileira contemporânea. Uma crise que começou em junho de 2013, mas que deita suas raízes mais profundas lá...
  • CAI DE BOCA.

    Cair de boca é frase entre espelhos, causa vários inversos e perspectivas. No domingo de carnaval é uma odisseia entrar no metrô, a cidade está toda na rua. Todas as fantasias e perturbações estão à mostra, toda aparência é permitida nos vagões sob a terra numa folia. Vou para...
  • ORGANIZAMENTE.

    O tal presidente quer vender as águas que em rios se fazem e nos aquíferos se escondem. Fico soturno no imaginário e grandes tatus vejo nos sonhos, estrangeiros, tatus de olhos rasgados e pelos loiros, ruivos, tão lisos. Na terra incidem tantos tatus, comem nossos tabus e outros bosteiam...
  • CAROLINA ERA SEU NOME BRASILEIRO.

    Agora morreu Carolina, matriarca Kaiabi, Kawaiwete, da humanidade. A antiga senhora que sempre andara com seu cajado ao equilíbrio dos homens e no mundo. Partiu a pouco. Todos os velhos estão a arrumar suas bagagens, estão partindo. Diante da morte não há recursos e todo mundo tem direito igual....
  • OS BICHOS NO BRASIL DOS FATOS.

    É cobra, é anta, é trairão, é macaco, é onça. Será que são as florestas do Brasil e seu fim que dão aos motes a cara e tom de animais? Não sei, ando como com piolhos na cabeça, a coçar a cuca, a coçar ideias. Lula falou que pisaram...
  • PARA AS ÁRVORES NADA.

    As velhas e grandes árvores não votam, ao contrário, sombream. Os seres mais ameaçados são as árvores, os mais quietos, os mais fracos, os mais velhos. Nunca veremos árvores protestando nas ruas, defendendo o direito à terra, direito à moradia, direito à água ou aposentadoria. Se a renda aumentou...
  • TERRA NOVA E APRENDIZ

    Entro no metrô no meio da tarde desta segunda-feira. Meus novos amigos, jovens aprendizes indígenas, querem mostrar-me uma nova terra reconquistada. Eu, já nos pêlos brancos, vou com eles aos desbravamentos de Guarulhos, a vizinha e insólita cidade da capital maior. Muitos daqui se surpreendem ao saberem da grande...
Social Widget
Social Widget