Bolsonaro derrete e a saída Mourão ganha musculatura

General Mourão, a saída sonhada pela elite podre do Brasil - Foto de José Cruz /Agência Brasil

Nos últimos dois meses, o capitão “eleito” de modo fraudulento tem colecionado derrotas acachapantes que tornam cada vez mais insustentável sua presença no poder. Para piorar, Mourão começa a ser visto pela elite corrompida do País como “alternativa constitucional”

Mourão e Ustra. Fascismo ontem e hoje

A Comissão de Justiça e Paz da Arquidiocese de São Paulo enfatiza que reuniu mais de 500 denúncias de tortura no DOI-CODI sob o comando de Ustra. Militar foi reconhecido pela Justiça como torturador em 2008. A nota de repúdio às declarações de Mourão é endossada pelo ex-ministro da Justiça José Gregori, pela professora titular aposentada da USP, doutora em filosofia e fundadora do Geledés, Sueli Carneiro, e pelo líder indígena Ailton Krenak.