Quase 10 mil km² da remanescente floresta amazônica foram devastados, diz o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), nos dados do PRODES, projeto de monitoramento do desmatamento da floresta amazônica brasileira por satélite. O programa calcula as taxas anuais de desmatamento, que foram divulgadas hoje, evidenciando a constante derrubada da floresta.

 

Ficará furioso o presidente?

 

 

O projeto PRODES realiza o monitoramento por satélites do desmatamento por corte raso na Amazônia Legal e produz, desde 1988, as taxas anuais de desmatamento na região, que são usadas pelo governo brasileiro para o estabelecimento de políticas públicas.

 

A taxa anual de desmatamento PRODES tem sido usada como indicador para a proposição de políticas públicas e para a avaliação da efetividade de suas implementações.  Os dados espaciais do PRODES são utilizados em: (a) Certificação de cadeias produtivas do agronegócio como a Moratória da Soja e o Termo de Ajustamento de Conduta da Pecuária-TAC da Carne; (b) Acordos inter governamentais como a Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP 21) e os Relatórios de Inventário Nacional de Emissões de Gases de Efeito Estufa e (c) Doações monetárias pelo Fundo Amazônia, que usam o PRODES como dado de referência à atividade de desmatamento na Amazônia Legal.

Mapas desenhados por Leonardo da Vinci

É do alto, olhando de cima, que essas máquinas incríveis, os satélites artificiais e suas lentes, seus sensores, desmentem os governos insanos. Se o homem antigo se guiava pelos instintos e momentos de sabedoria, ou pela arte e ciência numa vontade de humanidade, hoje é o olho parabólico no cosmo que nos guia.

O INPE, mesmo chacoteado, humilhado até, afirma sua dignidade.

 

 

 

 

O satélite CBERS 04A já está na base de lançamento de Taiyuan (TSLC), China. O Programa CBERS (do inglês, Satélite Sino-Brasileiro de Recursos Terrestres) no Brasil é desenvolvido pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e na China, pela Academia Chinesa de Tecnologia Espacial (CAST). O lançamento do CBERS 04A, o sexto da parceria Brasil-China, está previsto para o dia 17 de dezembro.

Içamento do refletor parabólico

 

Os satélites CBERS 04A e o Amazonia-1,  terão uma nova antena na Estação Terrena de Cuiabá (MT), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). O novo sistema será utilizado para o rastreio, controle e a recepção de imagens dos dois satélites e permitirá a execução de passagens simultâneas, sem perda de dados dos novos satélites de observação da Terra.

 

Montagem do refletor parabólico

 

*informações e imagens por INPE

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Jornalistas Livres

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

Recorde em SP: 48 mil pessoas vivem nas ruas

Um levantamento realizado por pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) mostra que 48.261 pessoas viviam nas ruas em São Paulo no ano de 2022, sendo o maior já registrado na capital paulista. No Brasil são quase 192 mil pessoas em situação de rua registradas no CadÚnico.

Hoje Maria Marighella é a entrevistada no Programa JORNALISTAS LIVRES ENTREVISTA. Atriz, mãe, militante e produtora cultural. Herdeira de uma família de tradição militante. Maria