João Doria resolve economizar na pandemia demitindo trabalhadores

João Doria Jr aproveita a pandemia para fazer economia! E danem-se os trabalhadores!
João Doria Jr aproveita a pandemia para fazer economia! E danem-se os trabalhadores!

O governador de São Paulo, João Doria Jr. (PSDB-SP), é um escroque infame! Quando várias famílias de classe média estão fazendo sacrifícios para manter o pagamento das trabalhadoras domésticas, apesar de dispensá-las de comparecer ao trabalho (em nome da solidariedade neste momento de pandemia do coronavírus), o Secretário da Educação publicou hoje na página 18 do Diário Oficial do Estado de São Paulo (DOSP) de hoje (19/3) a resolução que suspende os contratos e convênios de prestação de serviços das empresas terceirizadas.

Desnecessário dizer que os prejudicados serão os trabalhadores terceirizados, como motoristas, merendeiras e faxineiras, jogados ao Deus dará, sem direitos, sem salários, sem dinheiro. São exatamente os trabalhadores mais desassistidos de direitos entre os tantos que prestam serviços ao Estado.

João Doria Jr resolveu usar a epidemia para fazer “economia” e está pouco se lixando para a dor e o sofrimento das famílias sustentadas pelos contratos das terceirizadas!

João Doria Jr faz isso como uma demonstração de falta absoluta de solidariedade e compaixão. Faz isso apesar de os países da Europa, sem exceção, darem exemplo em sentido exatamente contrário: estão mantendo os pagamentos porque sabem que o trabalhador continua precisando pagar aluguel, alimentação, remédios e tantos outros gastos que as famílias de trabalhadoras possuem –ainda mais em período de epidemia.

É inadmissível que João Doria Jr responda às pandemia com o desprezo pelos trabalhadores mais desassistidos da administração pública!

 

Veja a publicação completa:

Página 18 da Executivo – Caderno 1 do Diário Oficial do Estado de São Paulo (DOSP) de 19 de Março de 2020

Resolução SE 27, de 18-3-2020
Dispõe sobre a suspensão dos contratos e dos convênios de prestação de serviços, e dá providências correlatas
O Secretário da Educação, no uso de suas atribuições, e considerando o disposto no artigo 1º, inciso II, do Decreto 64862/2020, com redação dada pelo Decreto 64.864/2020, que determina a adoção de providências necessárias visando à suspensão de aulas no âmbito da Secretaria da Educação,
Resolve:
Artigo 1º – Suspender, a partir de 24-03-2020:
§ 1º – os contratos firmados entre a Secretaria da Educação e empresas prestadoras de serviços:
1. contínuos de transporte escolar para alunos com e sem deficiência do ensino fundamental e médio;
2. contínuos de transporte escolar de alunos do ensino fundamental e ensino médio através de bilhetagem eletrônica;
3. de preparo e distribuição de refeições para os alunos da rede de ensino público estadual;
4. contínuos de apoio aos alunos com deficiência que apresentem limitações motoras e outras que acarretem dificuldades de caráter permanente ou temporário no autocuidado;
§ 2º – os convênios celebrados entre o Estado de São Paulo, por intermédio da Secretaria da Educação, e os municípios para o fornecimento de:
1. transporte escolar;
2. alimentação escolar.
§ 3º – Na suspensão dos contratos de que trata o § 1º deste artigo, os ordenadores de despesas, gestores e fiscais de contratos deverão zelar para que sejam pagos somente os serviços efetivamente prestados até 23-03-2020.
§ 4º – A suspensão de que trata o “caput” deste artigo vigorará até ulterior decisão em sentido contrário.
Artigo 2º – As Diretorias de Ensino deverão encaminhar notificação aos municípios e às empresas prestadoras de serviços sobre a suspensão de que trata esta Resolução.
Parágrafo único – A notificação de que trata o “caput” deste artigo deverá seguir as orientações da Coordenadoria de Orçamento e Finanças.
Artigo 3º – Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação.

COMENTÁRIOS

  • Quem nega saúde, trabalho e educação ao povo, não merece Saúde, prefeito. Isentar IPTU a igrejas evangélicas, ok?!

  • Eu vi esta mesma matéria sobre uma decisão do Bruno Covas na Prefeitura de São Paulo.

  • O bom disso é que terá mais gente pra fazer campanha CONTRA esse animal desumano, pra ele o povo é só número.

  • PSDB sendo PSDB, mas os eleitores idiotas continuam elegendo esses escroques. Viva o socialismo e o comunismo! Num governo socialista isso não aconteceria!

  • HIPOCRESIA, isso ele não anuncia na mídia! Milhares de famílias e pequenas empresas subitamente ficarão sem renda alguma, as mega-empresas dos amigos terão socorro com o nosso dinheiro, que vergonha!!!

  • Vamos fazer uma campanha pela readmissão imediata desses profissionais, manter todas as pessoas trabalhando é um dever dos Estados, Prefeituras e todos que podem pagar. Jornalista livres, vamos puxar uma Campanha pela readmissão desses profissionais.

  • Fui mandada embora na experiência aliás fomos mandadas embora..com quase dois meses de trabalho das cozinhas das escolas municipais de são Paulo.. é Justo?? Não somos animais somos gente..temos família que depende de nós e contas a pagar ..netos filhos pequenos..e agora iremos entrar na.lista negra dos inadimplentes..tenha mais amor ao próximo… Governador isso que vc está fazendo não está certo

  • Não tivemos nem chance de poder alimentar nossa família… acabei de perder meu netinho..quando voltei já tive a notícia que estava sendo desligada..vc faz isso porque não é sua mãe sua irmã né?? Temos um país maravilhoso mais com governantes como vc … só afunda nosso país..que vergonha ☹️ E não se esqueça da lei do retorno

  • Doria sempre foi e sempre será um miserável sem escrúpulos, vai pagar por tudo q anda fazendo e será detestado por todos até os mais chegados dele ei de virar as costas para ele qdo ele mais precisar . Eu profetiso isso . Deus lhe devolverá tudo oq ele está plantando .

  • Boa tarde,,,sou merendeira do estado ,tô tentando contato com a mídia pra expôs a situação e ninguém atendeu até agora

  • Renata e jornalistas livres conto c a divulgação de vcs dessa arbitrariedade desse governador

  • […] Todas as medidas para combater o Corona vírus e evitar o contágio do Covid-19 são urgentes e precisam ser cumpridas com cuidado e paciência. O confinamento social é importante para que possíveis vetores do vírus não o fiquem carregando daqui para lá com o risco de contaminar as pessoas mais vulneráveis (idosos e pessoas com doenças pulmonares, problemas respiratórios, além de diabéticos e fumantes). Fechar as escolas é uma dessas medidas, mas é necessário que as pessoas tenham a consciência de permanecer dentro de casa e tomar todos os cuidados preventivos caso seja necessário sair (veja dicas no site do Governo Federal). E só isso não basta: para o confinamento ter eficácia, será necessário que os governos fechem além das escolas e do comércio, como já foi feito, também as fábricas de mercadorias não-essenciais – sem que o salário desses trabalhadores seja afetado e sem demissões (como inescrupulosamente fez Dória ao suspender o contrato das empresas terceirizadas). […]

  • No último dia 02/06 mais de 150 funcionários concursados da imprensa oficial do Estado de São Paulo foram demitidos via WhatsApp e telegrama. A chamada incorporação pela Prodesp apenas incorporou o prédio da imesp e seu maquinário gráfico. Os funcionários foram demitidos em plena pandemia perdendo inclusive o direito ao plano de saúde que utilizavam. Esse é o João Doria de verdade, que fala em preocupação social e por trás das câmeras demite sumariamente os trabalhadores.

  • A agora economiza com demissão em massa de funcionários públicos concursados em plena pandemia!
    Foram dispensados mais de 150 funcionários da Imprensa Oficial do Estado, onde foram impressos os comprovantes de vacinação contra Covid-19 e todo o material didático do Estado e Munícipio, entre outras coisa.

  • POSTS RELACIONADOS

    -Me traz aquela!

    Depois de várias reportagens sobre o dia a dia da Cracolândia, a jornalista Valéria Jurado e o fotógrafo Ale Ruaro decidiram escrever uma “crônica”. Entendedores entenderão.

    Crônica do Arrombado

    Uma da madrugada esquina da São João na Nova Cracolândia… crônica de Valéria Jurado com fotos Ale Ruaro relata a imersão no território de absoluto abandono do estado

    >