“Este país não pode ser assim”

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Por Cecília Bacha e Katia Passos

Hoje foi dia de despedida do historiador, intelectual Marco Aurelio Garcia. É claro que a cerimônia estava repleta de representantes do mesmo campo.

Trabalhadores terceirizados da Assembleia Legislativa de São Paulo que se identificam com o projeto de povo de Lula e Dilma, presentes no local é claro que quiseram fazer suas selfies mas foram impedidos pelos patrões.

Há uma direita ultra conservadora que dirá que os velórios da esquerda são usados como palanque pela esquerda, mas o que a visão limitada e a falta de pensamento critico desse grupo impedem é de enxergar que este é um momento de “passagem de bastão”

Explicamos melhor: antigos companheiros aguerridos mantêm viva a mensagem de esperança para os que ficam.

Minutos antes de iniciarmos a gravação desse vídeo, Dilma dizia aos ‘trabalhadores proibidos’ de se aproximarem do corpo, que se Marco Aurélio pudesse ouvi-los, certamente levantaria do caixão, referindo-se a tão autoritária proibição.

A Presidenta Dilma Rousseff, no velório do Marco Aurelio Garcia, pegou os trabalhadores da manutenção da Alesp pelo braço pra se despedirem do intelectual e tirar fotos com ela e o ex-presidente Lula.

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

LULIZAÇÃO DE BOLSONARO?

Pra sobreviver, Bolsonaro precisará abandonar o bolsonarismo e ser um tantinho lulista, fazendo a tal comparação ter algum sentido

>