Denúncia aponta que PM do DF pretende agir com violência em ato marcado para o próximo domingo (7)

Comissão de Direitos Humanos da Câmara Legislativa do DF recebeu denúncia de que oficiais estariam insuflando policiais a reprimirem manifestação antirracismo e antifascismo

Foto: Leonardo Milano

Via Metrópoles 

A Comissão de Direitos Humanos da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CDH-DF) encaminhou, nesta quinta-feira (4), pedido de investigação ao Comando Geral da Polícia Militar do DF, sobre a denúncia de que oficiais da PM estariam incentivando ações violentas por parte dos policiais que acompanharão a manifestação antirracista, antifascista e pró-democracia, agendada par o próximo  domingo (7), às 9h, em frente ao Museu Nacional da República.

Na denúncia há, também, relatos de que o esquema de segurança que será montado para a manifestação do próximo domingo é muito maior do que o que vem sendo usado nos atos antidemocráticos promovidos pelos apoiadores de Bolsonaro, que pedem, entre outras coisas, o fechamento do Congresso Nacional e do STF, além de ataques à imprensa, inclusive com agressões físicas, e sem resposta da PM.

“Há um risco de que a tropa chegue ao local com ânimos acirrados e que, mesmo com um protesto pacífico, seja empregada violência excessiva. Isso tudo porque, de acordo com os denunciantes, membros da corporação estariam insuflando os policiais contra os manifestantes”, afirma o presidente da CDH, o deputado distrital Fábio Felix (PSol-DF).

O Receio de Félix, que é presidente da CDH-DF, é de que os policiais estejam com disposição de provocar conflitos com os manifestantes, para justificar uma resposta violenta da PM, segundo apurou a reportagem do Metrópoles, e confirmadas pelos Jornalistas Livres com um membro da CDH.

“São graves as denúncias e exigimos que o governo adote as providências necessárias para garantir a segurança e a integridade dos manifestantes”, destaca Fábio Felix.

Ao Metrópoles, a Assessoria de Imprensa da PM-DF, informou que ainda não tinha tomado conhecimento do ofício encaminhado pela CDH-DF, mas que,  “após sua ciência, conhecerá do seu teor e adotará as medidas julgadas oportunas”. A Assessoria disse ainda que, ao planejar suas ações, não considera o viés ideológico das manifestações. No entanto, não foi o que se viu nas manifestações do domingo passado (31/04) em São Paulo, quando claramente a PM-SP provocou os manifestantes pró-democracia e protegeu os apoiadores de Bolsonaro, inclusive uma mulher portando um taco de baseball.

Ciente dos potenciais riscos que os manifestantes antirracistas, antifascistas e pró democracia correm no domingo, a CDH  disponibilizou um canal de atendimento para os manifestantes que possam vir a sofrer abusos por parte da PM.

Os manifestantes podem enviar relatos, vídeos e fotos pelo WhatsApp (61) 99904-1681

.

Categorias
BrasíliaDireitos HumanosViolência Policial
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

AfrikaansArabicChinese (Simplified)EnglishFrenchGermanItalianJapaneseKoreanPortugueseRussianSpanish

Relacionado com