Coronel da PM causou tumulto para provocar a repressão ao ato pela Democracia

Coronel Américo Higuti: ele foi fardado para a avenida Paulista, apesar de ser da reserva
Coronel Américo Higuti: ele foi fardado para a avenida Paulista, apesar de ser da reserva

 

 

O coronel Américo Massaki Higuti, oficial da reserva da Polícia Militar, foi o causador de uma briga que serviu de pretexto para a brutal repressão contra os manifestantes antifascistas que foram no domingo (1/6) à avenida Paulista  para defender a Democracia.

Embora na reserva, o coronel Américo Higuti compareceu à avenida Paulista trajando uma farda do COE, Comando de Operações Especiais, tropa de elite da Polícia Militar de São Paulo. Acontece que o uso de uniforme é privativo dos militares em serviço ativo. Os militares da reserva e os reformados podem usar seus uniformes por ocasião de cerimônias sociais, militares e cívicas, categorias em que a manifestação de domingo na avenida Paulista definitivamente não se encaixa.

O coronel Américo Higuti é um ativo apoiador de Jair Bolsonaro. Ele mantém três perfis no facebook, em que posta fotos ao lado de celebridades de extrema direita, como o príncipe destronado Luiz Philippe de Orléans e Bragança, Carla Zambelli e o próprio presidente.

 

Xingamentos na travessia

 

No domingo, ele participaria do ato em apoio a Bolsonaro e contra o STF (Supremo Tribunal Federal), que acontecia a um quarteirão de onde se reuniam os Torcedores pela Democracia –corinthianos, palmeirenses, sãopaulinos e santistas contra o fascismo.

Um cordão de isolamento formado por uma fileira de policiais militares separava um grupo do outro. Apesar das provocações fascistas dirigidas ao grupo dos torcedores, a situação estava sob controle. Cada grupos gritava suas palavras de ordem e agitava suas bandeiras.

Foi então que o coronel Américo Higuti, o sargento PM Valdani, também fardado irregularmente, já que é da reserva, e um manifestante bolsonarista embrulhado na bandeira brasileira decidiram atravessar a pé a manifestação dos torcedores pela Democracia e contra o Fascismo. O grupo estava sendo escoltado por um soldado fardado da PM.

 

Ao se aproximarem, em atitude claramente provocativa, os homens foram advertidos. “Não entrem aí, vocês estão querendo briga? Não vão!” Mas foi inútil. Torcedores presentes na manifestação relataram aos Jornalistas Livres que o grupo bolsonarista do coronel Américo Higuti entrou, xingando, na concentração pela Democracia: “ladrões”, “vândalos” e “maconheiros” foram algumas das ofensas.

 

O coronel Américo Higuti, ao sair do outro lado da manifestação, alegou ter sido espancado, esfaqueado e “vítima de uma emboscada”.

 

O sargento Valdani, também da reserva, alegou ter sido violentamente agredido pelos Torcedores.

 

Foi a senha para começar a repressão.

 

Os PMs que atuavam na segurança dos atos entraram em alvoroço e começou a confusão. Arremessaram bombas contra os torcedores enquanto o coronel Américo Higuti conversava com um soldado, parecendo dar-lhe ordens.

 

Quando a avenida Paulista já havia se transformado em uma praça de guerra, o coronel Américo Higuti ainda foi visto tomando água, ladeado por PMs, no posto móvel da polícia, em frente ao parque Trianon e ao Masp.

 

Depois do ato, o coronel foi ao 78º Distrito Policial, denunciando ter sido agredido, esfaqueado, “vítima de uma emboscada” e “impedido de se manifestar livremente”. Mas as imagens mostram que, ao contrário, foi ele que armou contra os manifestantes. Quanto à facada, será mesmo que ocorreu? Um homem esfaqueado não estaria tranquilamente assistindo à repressão que desencadeou e, depois, tomando um copo de água com os soldados do posto móvel da PM. Nem muito menos dando entrevista na porta da delegacia para sites fascistas. 

 

O sargento Valdani também conversou com blogs da extrema direita tão logo terminou de prestar queixa no 78º DP. Estava firme e forte. Estranhamente, logo depois, foi internado, alegando fortes dores causadas pelas supostas agressões dos torcedores.

 

 

Jornalistas Livres encaminharam às 10h43 à assessoria de imprensa da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo as seguintes questões. Recebemos a nota em resposta às 16h46.

 

PERGUNTAS:

 

Prezados senhores,

 

(…) Gostaríamos de obter as seguintes informações:

 

  1. Qual o estado de saúde presente do coronel Américo Massaki Higuti? E do sargento Valdani?

 

  1. Por que o coronel Américo Massaki Higuti e o sargento Valdani compareceram à avenida Paulista trajando uniformes do Comando de Operações Especiais da Polícia Militar? PMs da reserva podem usar fardamento em atos políticos?

 

  1. Por que um policial militar da ativa escoltou os manifestantes pró-bolsonaro em sua passagem por dentro do grupo contra Bolsonaro, colocando em risco a segurança dos escoltados?

 

  1. Torcedores que entrevistamos dizem que a “provocação” do coronel Higuti foi o que deu pretexto para a repressão que se iniciou a partir daí. Gostaríamos que a PM descreva o fato que deflagrou a repressão.

 

RESPOSTAS:

Nota da Secretaria de Segurança Pública a respeito dos questionamentos feitos pelos Jornalistas Livres
Nota da Secretaria de Segurança Pública a respeito dos questionamentos feitos pelos Jornalistas Livres

 

Prezados senhores,

 

(…) Gostaríamos de obter as seguintes informações:

 

  1. Qual o estado de saúde presente do coronel Américo Massaki Higuti? E do sargento Valdani?

 

  1. Por que o coronel Américo Massaki Higuti e o sargento Valdani compareceram à avenida Paulista trajando uniformes do Comando de Operações Especiais da Polícia Militar? PMs da reserva podem usar fardamento em atos políticos?

 

  1. Por que um policial militar da ativa escoltou os manifestantes pró-bolsonaro em sua passagem por dentro do grupo contra Bolsonaro, colocando em risco a segurança dos escoltados?

 

  1. Torcedores que entrevistamos dizem que a “provocação” do coronel Higuti foi o que deu pretexto para a repressão que se iniciou a partir daí. Gostaríamos que a PM descreva o fato que deflagrou a repressão.

 

Leia mais sobre Manifestação dos Torcedores Antifascistas em:

 

Torcedores antifascistas: Heróis da Resistência, Povo em Luta, nossos Panteras Negras

Torcidas do Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo se unem contra o fascismo

 

 

COMENTÁRIOS

  • A PM tem que ser extinta. A maioria dos PM são de pessoas honradas, porém tem muito bandidos infiltrados nela.

  • tem de ser extinta, porém, os honrados são minoria na PM; A maioria segue a doutrina de agredir o povo.

  • Polícia, meus caros é uma força criada pela elite para manter e proteger os seus próprios interesses e massacrar gente pobre… Reflitam sobre isso!

  • Subestimou a bandidagem. Junto a torcida de Bolsonaro passeia mulhres crianças e familiares . PM bate continencia, por isso ele subestimou os bandidos convocados por petistas e cia. Ignorando o fato do lula e Dirceu serem presidiarios.

  • Nasa justifica a violência…eram bandidos e vândalos…provocação? Isso se combate co maturidade emocional q é o q falta p a esquerdalha …vao se tratar!!!!

  • Agora veja, o cara coloca uma farda e vai para as ruas criar confusão, expandir o seu ego tupiniquim. Um homem desequilibrado, com problemas psiquiátricos ou então é mais um mau-caráter, de má qualidade, ordinário, provedor e defensor do caos mesmo!

  • esses japoneses que não aprenderam nada com a historia e com o episódio das 2 bombas atômicas e o vínculo com o eixo. É uma vergonha ver descendentes japoneses sendo cachorrinho adestrado de playboy nazista…

  • Narrativa mentirosa.

    Dirigia ao espaço da livre e democrática manifestação autorizada pelo poder público. Ninguém está autorizado a impedir a livre circulação de um cidadão e muito menos de ser agredido.

    Não acompanho as pessoas e convocações do público de esquerda ou de um político do PSDB, por isso desconhecia essa concentração de pessoas com pensamento oposto, cujas pessoas me agrediram injustamente

    Infelizmente, no caminho recebi muitas ofensas verbais. O triste disso é só pelo fato de estar com usando uniforme com a bandeira de nosso país. Qualquer profissão deve ser respeitada, inclusive a de militares.

    No meu ombro direito estava a bandeira do Brasil,, cujo país honro pertencer, e meu boné que foi furtado, homenageava a 10° Divisão de montanha do Exército dos Estados Unidos, cujos heróis lutaram ao lado dos brasileiros da FEB contra as forças nazifascista.

    Gritar de facistas, quem não é não tem sentido fático.

    Usar de violência em atos de manifestação civil muito menos, além de não ser compatível com a democracia. Se a pessoa que filmou sabia que Indivíduos estavam predispostos a agredir um cidadão a responsabilidade dele deviria prurido, me avisado e providenciar a minha proteção, e não ficar filmando cenas de terror se omitindo do dever cívico e solidário, e não há evidências disso, apenas consta que estava narrando a cena como se soubesse do que viria ocorrer. A violência não é regra na sociedade que obedece a Lei e a Ordem, é exceção.

    A responsabilidade da violência e atos seguintes é de quem agrupou e incentivou as pessoas com esses comportamentos de agressividade para praticar violência e calar uma manifestação legítima e legalmente aprovada pelo poder público, e não de quem foi vítima da agressão. O fato aconteceu comigo, mas poderia ser qualquer cidadão. Eu consegui evitar consequências mais graves, Infelizmente, o Sargento Valdani foi internado e em estado grave, com ferimentos internos (rim e artéria). Rogo a Deus para que o graduado tenha a sua plena recuperação.

    Considero lamentável essa narrativa de um fato cuja finalidade é de inverter os acontecimentos e acirrar ainda mais o ódio entre as pessoas e dividir a população. Espero, como cristão, que as pessoa tenham mais amor ao próximo e espírito do compaixão. Se desmaiasse naquele lugar, provavelmente não estaria hoje para deixar esse comentário.

    É uma barbaridade admitir uma agressão em atos cívicos democráticos, por incompatibilidade com a convivência pacífica num ambiente democrático de pluralidade de opiniões. No caso, considero que a agressão foi um livramento de Deus, e dou graças a Ele que tenha acontecido comigo, pois esse fato poderia ter sido fatal se ocorresse com outro cidadão.

    Não há verdade absoluta na democracia, mas a inteligência de compor o senso comum da coletividade para cumprir os objetivos nacionais.

    Ademais, entendo um equívoco, misturar o debate político com os atos de torcidas organizadas.

    A esse respeito pergunto. Se eu torço para um time, estou autorizado de ser agredido por um mesmo torcedor da torcida organizada, cuja opinião política seja diferente?

    Fui agredido ao menos por um membro da torcida do Corinthians e tenho especial apreço por outros amigos que torcem para esse time, a exemplo do Coronel Castilho, Coronel Ericson Jonas, Márcio Kodama entre outros.

    Por isso, considero um absurdo, trazer a prática da violência entre as torcidas para calar a voz de pessoas que pensam politicamente diferente.

    Saber conviver na democracia, requer o espírito inteligência e de liberdade. Eu apoio o presidente Bolsonaro e que mal há nisso? O presidente não foi eleito democraticamente? Conheço pessoas que votaram no Haddad, mas nem por isso deixamos de conversar e conviver. Já tive aula com o Ministro José Eduardo Cardos (PT), respeitado professor de Direito Administrativo, nem por isso, apesar de divergir na política, deixo de reconhecer certas e determinadas qualidades.

    Respeito, por exemplo, o deputado José Américo, do PT, e já conversamos muito sobre história, temos opiniões políticas diferentes, mas prevalece o respeito entre nós. Trabalhei com o governador Geraldo Alckmin, pessoa que particularmente tenho muito respeito a ele e toda sua família, mas na opinião política votei em Bolsonaro e o apoiarei, por coincidir com os valores que eu acredito. Assim é a democracia.

    Desse modo, respeitei as pessoas durante introjeto e não me manifestei politicamente no ponto da agressão e durante a caminhada. Não concordo com as agressões verbais e muito menos as agressões físicas. Revidar as agressões seria legítima de minha parte, mesmo assim não agredi ninguém, pois preferi a todo instante prevalecer a ordem e a paz.

    Aliás, só fui a pé, pois no convite indicava que era uma carreata, porém o trânsito estava interrompido. Desse modo precisei caminhar do estacionamento até o local em que encontraria as pessoas que manifestavam com a paula: “Liberdade com Deus e Pela Família“.

    Que Deus abençoe a todos e nossa Naçoão.

  • Entendi, se eu ver alguém com bandeira vermelha vou me sentir ofendido e isso me dá o direito de agredir o infeliz, e depois dizer que fui provocado, amigo, essa desculpa não funcionava nem com minha mãe em casa quando eu era um guri, imagine quando eu sou responsável pelos meus atos, há agredir alguém é crime, e como o povo de direita está em bem maior número pode ser problemático para os mortadelas kkkk

  • Mas ninguém nessa matéria deixou claro que o agressor do Coronel tem passagem pela policia por assassinar a própria mãe! isso vocês não mostram né?

  • Quem vai pelo Bolsonaro não precisa ser pago para estar la! Diferente da maioria dos Antifas! Vamos pelo nosso dever como cidadão e não por dinheiro!

  • […] “O coronel Américo Massaki Higuti, oficial da reserva da Polícia Militar, foi o causador de uma briga que serviu de pretexto para a brutal repressão contra os manifestantes antifascistas que foram no domingo (1/6) à avenida Paulista para defender a Democracia. Embora na reserva, o coronel Américo Higuti compareceu à avenida Paulista trajando uma farda do COE, Comando de Operações Especiais, tropa de elite da Polícia Militar de São Paulo. Acontece que o uso de uniforme é privativo dos militares em serviço ativo. Os militares da reserva e os reformados podem usar seus uniformes por ocasião de cerimônias sociais, militares e cívicas, categorias em que a manifestação de domingo na avenida Paulista definitivamente não se encaixa.” [Jornalistas Livres] […]

  • Nao existe nada de bom nessa porra! A “minoria” e conivente. Cade uma (UMA SEQUER) nota de repudio?

  • No Brasil este bando vagabundos militares, bando dê come e dorme, parasitas, são testa de ferro da direita. Vergonhoso!! As forças armadas e suas auxiliares deveriam servir à nação, mas esse país é uma vergonha, nossas forças armadas servem como milícia de partidos da direita.

  • Um absurdo este ato baderneiro deste coronel reformado,uma vergonha para o posto que ocupou na polícia militar,tem que ser punido com o rigor da lei!

  • POSTS RELACIONADOS

    Na defesa do egoísmo da família brasileira

    Com as pernas bambas, um certo ar desconfiado e temeroso por não saber como eu me sentiria ao cobrir uma manifestação com pautas antidemocráticas e fascistas, fui para a Paulista

    >