Coronavírus: Boa Vista tem fiscalização de rua e convocação de profissionais de saúde

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Os casos confirmados do novo coronavírus em Boa Vista, capital de Roraima, subiram de 2 para 7. Até o momento foram computados 50 casos suspeitos, sendo 30 deles descartados e 13 ainda aguardam o resultado dos exames. As informações são do boletim epidemiológico do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS) de Roraima, divulgado nesta quarta-feira (25).

Após os primeiros casos, um decreto municipal suspendeu o funcionamento de bares, restaurantes, lanchonetes, balneários, parques aquáticos, clubes com piscinas e lagos e todas as atividades nas quadras esportivas das praças públicas da cidade. Segundo o decreto, nem as luzes das praças serão acesas durante a noite para que as pessoas permaneçam em casa.

Desde a última segunda-feira (23), equipes realizam vistorias pela cidade para fechar todos os estabelecimentos que não sejam de serviços emergenciais. Participam das ações Procon Municipal, Secretaria Municipal de Planejamento e Finanças, Vigilância Sanitária e Guarda Municipal.

::Covid-19: “Estamos com medo de ser dizimados”, diz Tupinambá Nice Gonçalves::

Na primeira fiscalização mais de dez estabelecimentos, entre eles, oficinas de moto, salão de beleza e lojas de confecções foram fechados. A população também está proibida de se reunir em espaços públicos.

A Prefeitura de Boa Vista também convocou 237 profissionais da saúde para reforçar o combate ao coronavírus. Pelas redes sociais, a prefeita Teresa Surita informou que todo o estado de Roraima tem apenas 10 leitos de UTI que são para trauma, 20 leitos para outros problemas de saúde e 30 ventiladores para todos os 600 mil habitantes.

Foram convocados 55 médicos, 43 enfermeiros, 80 técnicos em enfermagem, 30 farmacêuticos, 28 condutores de unidade móvel de saúde e 1 analista especialista em epidemiologia e vigilância em saúde que devem assumir imediatamente seus postos de trabalho.

Para dar suporte às vítimas do coronavírus, a Operação Acolhida, do Exército, entregou na última quarta-feira (25) um Hospital de Campanha com capacidade para 1200 leitos em Boa Vista. A expectativa é que ele seja inaugurado nesta quinta (26). O funcionamento será custeado pelos governos municipal e estadual.

Pelas redes sociais, Teresa Surita também respondeu ao pronunciamento de Jair Bolsonaro e garantiu que irá manter a cidade em quarenta respeitando a orientação da OMS, a Organização Mundial de Saúde.

Tentativa de aquecer a economia

O salário de março dos servidores públicos municipais foi antecipado e depositado na manhã desta quinta-feira (26) na conta dos funcionários.

“Muitas famílias de Boa Vista têm ao menos um servidor público que ajuda no orçamento da casa e a antecipação vem como forma de tranquilizar, trazer segurança e reduzir a preocupação dos servidores com a questão financeira neste momento delicado por conta da pandemia causada pelo coronavírus”, informa a gestão municipal por meio de nota enviada à imprensa.

O governo estadual segue pelo mesmo caminho. Antonio Denarium anunciou um pacote econômico que irá injetar R$ 80 milhões na economia de Roraima. Uma das medidas será antecipar a primeira parcela do 13º salário dos servidores, que seria paga apenas em junho, para o próximo dia 20 de abril. Com a medida, serão injetados mais de R$ 50 milhões na economia local.

O clima na cidade de Boa Vista

O aumento dos casos confirmados de coronavírus fez com que a população de isolasse e permanecesse dentro de casa. Antes do anúncio, um grande fluxo de pessoas ainda circulava pela cidade. Hoje ruas do centro e as principais avenidas da cidade amanheceram vazias e assim seguiram durante todo o dia.

Atacadões e supermercados ainda concentram muitas pessoas, já que estes estabelecimentos limitaram o número de clientes dentro das lojas – fazendo com que grandes filas se formem do lado de fora.

Com medo de quanto tempo pode durar o isolamento, muitas famílias decidiram estocar comida e produtos de higiene. Cafés, restaurantes e lanchonetes passaram a funcionar de portas fechadas, trabalhando apenas com o sistema de entregas. Nas farmácias não há mais máscaras, luvas e nem álcool em gel para vender.

Em alguns bairros, para quebrar o tédio da quarentena, vizinhos conversam a distância, cada um de sua casa.

Quarentena obrigatória em Boa Vista proíbe até permanência na calçada

A quarentena social decretada pela prefeita Teresa Surita atinge toda a população da cidade. Os agentes da Administração Pública Direta, Indireta e Fundacional do Município de Boa Vista, exercerão suas atividades em regime de teletrabalho pelo período que perdurar a situação de emergência definida no Decreto.

Apenas servidores que atuem nos setores de saúde, segurança, defesa civil, trânsito e demais serviços essenciais ou que participem dos órgãos que compõem o combate à disseminação do coronavírus continuam exercendo suas funções presencialmente. As férias de todos os servidores da Secretaria de Saúde, Guarda e Defesa Civil Municipal foram suspensas até dia 31 de maio.

O decreto ainda define que supermercados, atacados e farmácias devem limitar o número de produtos por cliente para que não haja escassez dos mesmos. Por iniciativa própria atacados e supermercados têm limitado também o número de clientes dentro dos estabelecimentos, formando assim imensas filas nas portas das lojas. Restaurantes, cafés e lanchonetes estão proibidos de permanecer abertos ao público e adotaram o regime de entregas para manter o funcionamento.

As aulas das escolas municipais seguem suspensas até o próximo dia 31 de março – podendo ser adiado – e a reposição deve ocorrer ainda dentro do calendário letivo deste ano. Com a suspensão das aulas, o decreto também proíbe o uso do passe livre de estudantes e idosos durante a quarentena. A circulação dos ônibus está permitida apenas com 50% da lotação e taxis e táxis-lotação podem continuar operando com apenas um passageiro e janelas abertas.

Eventos culturais, esportivos e de lazer promovidos pela prefeitura estão suspensos até o final do estado de emergência. O funcionamento de mercados municipais, shoppings e seus estacionamentos, cinemas, clubes de recreação, buffets, academias de ginástica, sorveterias, boates, teatros, casas de espetáculos, casas de shows, centros culturais, circos, salões de beleza, barbearias, clínicas de estética também estão suspensos.

A proibição de funcionamento atinge, também, eventos religiosos em templos ou locais públicos, de qualquer credo ou religião, abrangendo reuniões presenciais de sociedades ou associações sem fins lucrativos.

Estádios de futebol, ginásios e quadras poliesportivas estão proibidas de receber qualquer pessoa. Também não é permitida a permanência de pessoas em locais públicos, tais como parques, praças, ruas, calçadas e afins. As luzes noturnas de toda a cidade permanecerão apagadas durante o estado de emergência.

Já nos postos de combustíveis podem funcionar apenas atividades relacionadas ao abastecimento dos veículos com pagamento in loco – fica proibido a cobrança dentro de qualquer estrutura de loja de conveniência.

Para manter a ordem na cidade e garantir que a quarentena seja cumprida, desde a última segunda-feira (23), equipes realizam vistorias pela cidade. Participam das ações Procon Municipal, Secretaria Municipal de Planejamento e Finanças, Vigilância Sanitária e Guarda Municipal.

Serviço

O consumidor que deparar com algum caso de descumprimento do decreto ou ainda valor de produtos ou serviços relacionados ao novo coronavírus, que considere abusivo, poderá registrar denúncia, de forma anônima, pelo e-mail do Procon pelo e-mail [email protected] ou pelos telefones: (95) 3625-2219, (95) 3625-2214, (95) 3625-3477 e (95) 3625-6201.

Veja mais clicando aqui.

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

>