Universidade pública descarta agronegócio e fecha com agricultura familiar

Reitora Valéria Correia quer comida sem agrotóxicos nos RU's da Ufal e luta para fortalecer produção familiar de alimentos

Os estudantes e servidores da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), maior instituição de ensino do estado, agora vão consumir comida saudável, livre de agrotóxicos e produzidas por famílias de agricultores locais.

Na sala do Conselho Universitário (Consuni), a reitora da Ufal, Valéria Correia, assinou vários contratos com associações e cooperativas da agricultura familiar contempladas na Chamada Pública nº 01/2018/UFAL.

As famílias serão fornecedoras dos Restaurantes Universitários da instituição. Diariamente os RU’s da Ufal servem milhares de refeições para estudantes, servidores e comunidade do entorno da Universidade. Um projeto de ampliação dos restaurantes universitários da Ufal está em andamento e vai contemplar mais acadêmicos no Agreste e Sertão alagoano.

A pró-reitora estudantil, Silvana Medeiros, reafirmou que a formulação do processo foi realizada em um planejamento participativo com oficinas e encontros com agricultores familiares e se concretizou como uma iniciativa intersetorial entre a Pró-reitoria Estudantil (Proest) e Pró-Reitoria de Gestão Institucional (Proginst).

A reitora Valéria Correia ressaltou o compromisso da universidade ao iniciar a compra com esta modalidade que visa garantir o abastecimento alimentar com qualidade para os RUs, além de fortalecer os circuitos locais e regionais agricultura familiar para o desenvolvimento rural sustentável.

Para a professora. Wanda Griep Hirai, coordenadora do Grupo de Extensão e Pesquisa Serviço Social e Segurança Alimentar e Nutricional (Gepssan), o impacto do processo de compras será grandioso, pois garantirá melhorias na renda familiar. “Certamente o preço justo estimulará os pequenos produtores para novos cultivos garantindo com isso a permanência e a possibilidade de um vida digna no campo”, comemorou.

Em um processo democrático, debatido com a comunidade acadêmica, a Ufal avança e da exemplo para outras Universidades. É preciso fortalecer a agricultura familiar e cuidar da saúde da nossa população.

 

 

 

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

plantação de alface de pequenos produtores foto: reprodução/Agência Brasil

É preciso financiar quem realmente produz alimentos

A Agricultura Familiar colhe 70% de tudo o que vai parar nos pratos dos brasileiros – ao menos daqueles que ainda têm com que comprar alimentos – mas ela recebe pouco mais de 15% dos recursos para a agricultura