Secundaristas são arrastados pela Tropa de Choque de dentro de escola ocupada

Tropa de Choque, portando armas de fogo, arrasta estudantes em reintegração de posse do Centro Paula Souza, na região da Luz. Alunos prometem resistir e seguir com ocupações em protesto contra a Máfia das Merendas no estado

Foto: Lina Marinelli

Por Jeniffer Mendonça, Katia Passos e Lucas Porto, com foto de Lina Marinelli, especial para Jornalistas Livres

Na manhã desta quinta-feira (6), estudantes secundaristas que ocupavam o Centro Paula Souza na região da Luz, área central da capital paulista, foram violentamente expulsos da ocupação pela Tropa de Choque da Polícia Militar de São Paulo.

A PM proibiu jornalistas e fotógrafos de se aproximarem da escola. O repórter do Diário do Centro do Mundo Mauro Donato foi agredido com cacetete por um policial e teve o supercílio cortado. Advogados foram impedidos de acompanhar a ação dentro da escola.

Ao coro de “não tem arrego!” e “sem violência!”, os alunos não resistiram e deixaram o local em marcha. O grupo de estudantes seguiu para o Centro Paula Souza na avenida Tiradentes.

choque_CPS tatica_CPS_2

Reintegração de posse

Os secundaristas ocuparam o Centro Paula Souza na região da Luz na quinta-feira (28) passada. Reivindicam melhorias na merenda escolar e a abertura da CPI da Merenda para investigar a máfia que desvia recursos do lanche no estado de São Paulo. O Centro Paula Souza é responsável por administrar as Escolas Técnicas Estaduais (Etecs), muitas delas sem nenhum tipo de merenda.

Na segunda-feira (2), a Polícia Militar invadiu a escola sem mandado judicial, com a presença do secretário de Segurança Pública, Alexandre de Moraes. Em uma guerra de liminares aprovando e anulando a reintegração de posse, a desocupação foi suspensa ontem (5), depois de interferências da defensora pública Daniela Skromovi de Albuquerque para garantir a integridade dos adolescentes. Segundo o conselho tutelar, Moraes deveria estar presente no momento da reintegração.

Repórter do DCM Mauro Donato é agredido pela PM em reintegração de posse

Repórter do DCM Mauro Donato é agredido pela PM em reintegração de posse | Foto: Jornalistas Livres

Na noite desta quinta (5), o  desembargador Rubens Rihl, da 1ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo, liminar em mandado de segurança (2091154-12.2016.8.26.000) para dispensar a presença do secretário da Segurança Pública na reintegração de posse do Centro Paula Souza.

De acordo com o Tribunal de Justiça de São Paulo, o responsável pela ação deveria ser o comandante da operação, que analisaria também a “conveniência ou não do uso da força e dos recursos necessários, na proporção adequada para o cumprimento da liminar, tendo-se em vista, sempre, a preservação do patrimônio e a integridade física dos envolvidos, tais como policiais militares, alunos, transeuntes, dentre outros”.

Tropa de Choque e Força Tática portavam armas de fogo não letais, mesmo sabendo que grande parte dos estudantes é menor de idade e está protegida pelo artigo do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), que garante, no Artigo 17, Capítulo II, “o direito ao respeito consiste na inviolabilidade da integridade física, psíquica e moral da criança e do adolescente, abrangendo a preservação da imagem, da identidade, da autonomia, dos valores, idéias e crenças, dos espaços e objetos pessoais.”

Informações dão conta de que quatro estudantes foram apreendidos e levados para o 2o. Departamento de Polícia, no Bom Retiro, zona oeste da capital.

Doações para população de rua

CPS_moradoresderua

Estudantes distribuem alimentos e cobertores a moradores de rua | Foto: Jornalistas Livres

CPS_moradoresderua2

Com a inevitável reintegração de posse na manhã de hoje, os secundaristas decidiram doar cobertores e alimentos recebidos por voluntários na escola ocupada para moradores de rua.

Os estudantes também trabalharam na limpeza do local durante todos os dias em que ocuparam o espaço. Prometem não ceder e seguir com as ocupações. Neste momento, caminham para a diretoria de ensino na região de Perdizes, zona Oeste da capital paulista.

Categorias
DestaquesEscolas em LutaSão Paulo
6 comentários:
  • Cumprida a reintegração de posse dos secundaristas – As Conjunturas
    6 maio 2016 at 10:50
    Comente
  • Secundaristas são arrastados pela Tropa de Choque de dentro de escola ocupada
    6 maio 2016 at 13:16
    Comente

    […] Por Jeniffer Mendonça, Katia Passos e Lucas Porto, com foto de Lina Marinelli, especial para Jornal… […]

  • Paulo Zaroni
    7 maio 2016 at 8:10
    Comente

    Acredito que NINGUÉM tenha que invadir prédios públicos, nem mesmo os privados. A invasão oi ocupação é contra a lei e cabe todos os recursos para evita-la, primcipalmente as escolas. Os “invasores” não sao alunos, sao militantes. Os verdadeiros alunos não participam deste tipo de coisa, pois receberam aducação para entender que isso é ilegal. Em NENHUM lugar do mundo, nem mesmo nos poucos paises comunistas (os que restaram) há esse tipo de ocorrência. Acho acertada a decisão de multar os responsáveis pois pagamos impostos demais para ter que reconstruir o que esses “alunos” quebram. Quando a inteligencia não funciona, a violencia predomina.

  • Paulo
    8 maio 2016 at 9:56
    Comente

    Certa vez na empresa que eu trabalhei, fui presidente da CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes), então em nossa primeira reunião falei para todos os participantes nesta quando algum empregado viesse fazer alguma reclamação, que está vires acompanhada da solução pela qual aquela nobre pessoa estaria reclamando. Aqui é a mesma coisa… Estudantes aquartelados querendo o quê?

  • Geraldo José
    8 maio 2016 at 16:45
    Comente

    Aí tem “estudantes” de mais de 40 anos, foram muito bem tratados pela polícia, já que ladrão tem que apanhar. Criticam quem rouba a merenda, e aí roubam os eletrônicos, como notebooks e outros aparelhos da escola, são tão ladrões quanto os que roubaram a merenda.

  • Geraldo José
    8 maio 2016 at 16:49
    Comente

    Cadê esses mesmos “estudantes” pra protestarem contra o corte de R$12 bilhões que a Dilma fez na educação ? Sabe porque não protestam ? Porque esse líderes recebem uma grana alta do governo pra calar ao que ele faz. São os pelegos do PT. Aí está cheio de “estudantes” profissionais, aqueles que estudam, estudam , estudam, e nunca saem da mesma série, a profissão deles é estudar a vida toda.

  • Deixe uma resposta

    AfrikaansArabicChinese (Simplified)EnglishFrenchGermanItalianJapaneseKoreanPortugueseRussianSpanish

    Relacionado com