Mais recentes: Artigo

  • SOBRE HOMENS E MONSTROS

    ARTIGO Vinícius Augusto Pontes de Carvalho, historiador, mestrando pela Universidade do Estado de Santa Catarina Vocês estão horrorizados com a política do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel de fuzilamento de escolas, pedreiros, mulheres com bíblia na mão, crianças com chuteira na mochila e casas de moradores? Estão...
  • Bacurau, da impressão do cotidiano à sugestão de uma esperança.

    É muito simplista achar que o filme fala “apenas” deste governo, pois ele dialoga com mais de 500 anos de um Brasil que subjuga, discrimina e violenta uma parte da população denominada (erroneamente) de minoria. A cada cena que passa se traduz com maestria a soberba imperialista, a violência...
  • Governo quer tirar do salário mínimo para dar aos bancos

    A equipe econômica se queixa do engessamento das despesas públicas e distribuiu estudo em que fala que 2/3 dos gastos primários são corrigidos por algum tipo de indexador. Ao se aproximar do deputado Pedro Paulo (DEM-RJ), autor da Proposta de Emenda à Constituição 438/2018, o objetivo não é apenas...
  • O PERIGO DE TER O BODE NA SALA

    ‘ RODRIGO PEREZ OLIVEIRA, professor de Teoria da História na Universidade Federal da Bahia Convido o leitor e a leitora a um exercício de imaginação: feche os olhos e imagine um bode aí no meio da sala, berrando, fazendo xixi e coco. Um bode bem no meio da sala...
  • Bacurau: Distopia-manifesto de um Brasil que resiste

    Por Valéria Regina Dallegrave* Bacurau é impressionante pela coragem de levar às raias de fato, a violência muitas vezes simbólica contra nordestinos e brasileiros, no cenário nacional e internacional. Considerando a intenção das distopias de ficção científica como de nos alertar sobre futuros possíveis, que podem ser evitados, o...
  • Conservadores e revolucionários no Brasil do bolsonarismo

    ARTIGO RODRIGO PEREZ OLIVEIRA, professor de Teoria da História na Universidade Federal da Bahia  A disputa entre conservadores e revolucionários data do século XVIII e marca um dos primeiros capítulos da modernidade política. Enquanto em Paris, os revolucionários cortavam a cabeça da aristocracia, zeravam a contagem do tempo e...
  • Um tango argentino me vai bem melhor que um blues

    Já fui um adolescente anti-estadunidense, ainda acho deploravel quem tem Miami como marco cultural ou civilizatório, contudo aos poucos descobri Walt Whitman, Jack London, Dylan Thomas e a geração beat, esses caras, mais o combo jazz e blues, me fizeram mudar de opinião sobre os EUA, não sobre o...
  • COMEÇOU O DIA DEPOIS DE AMANHÃ

    ARTIGO RODRIGO PEREZ OLIVEIRA, professor de Teoria da História n a Universidade Federal da Bahia  As forças que controlam o capitalismo periférico brasileiro embarcaram na canoa de Jair Bolsonaro num clima de “se não tem tu, vai tu mesmo”. Deputado de baixo clero, homem com hábitos rústicos e grosseiros,...
  • Fé, calma e sabedoria contra o caos: o que recomenda este líder indígena

    por Ana Clara Brant –   do Estado de Minas            Em 1987, no contexto das discussões da Assembleia Constituinte, o líder indígena, ambientalista e escritor Ailton Krenak fez um gesto que entrou para a história. Em sinal de luto pelo retrocesso na tramitação dos direitos...
1 2 3 64