Presa por defender o direito à moradia

Preta Ferreira, do MSTC, cantora e apresentadora do programa Lula Livre, é presa arbitrariamente por denúncia aleatória

Preta Ferreira, do MSTC, cantora e apresentadora do programa Lula Livre, presa por defender o direito à moradia
Preta Ferreira, do MSTC, cantora e apresentadora do programa Lula Livre, presa por defender o direito à moradia

A cantora, atriz, e liderança do MSTC (Movimento Sem Teto do Centro), coordenadora da ocupação 9 de julho, uma das mais charmosas e culturalmente ativas do centro paulistano, está detida no Deic desde a manhã desta segunda-feira, dia 24 de junho.

A polícia civil investiga supostos casos de extorsão que seriam promovidos por lideranças de alguns edifícios ocupados no centro – eles cobrariam aluguéis em nome de benfeitorias e manutenção dos edifícios. O Wilson Paes, prédio que desabou em maio do ano passado no Largo do Paissandu, é uma das ocupações investigadas.

Ocorre que o processo traz como principal suspeito o nome de Ananias “e outros”, sem especificar quais seriam esses outros suspeitos e nem de qual movimento eles fariam parte. As prisões, portanto, estão sendo feitas de maneira aleatória e arbitrária. Movimentos históricos de moradia estão sendo tratados como organizações criminosas.

O movimento do qual Preta faz parte, o MSTC, é liderando por sua mãe, Carmen Silva, e suas ocupações são reconhecidas internacionalmente, participando, inclusive, das bienais de arquitetura de Chicago, Nova Iorque e Veneza.

A ocupação do Hotel Cambridge foi palco do filme “Era o Hotel Cambridge” da cineasta Eliane Café, premiado em vários festivais, entre eles os de San Sebastian, na Espanha, e Crèteil, na França.

No ano passado, Carmen foi inocentada justamente da mesma acusação, a de cobrar aluguéis indevidos.

Categorias
CidadesGeralLuta por MoradiaMoradiaMSTC
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta