Por que eles querem tomar o poder: Privatização

por Joana Brasileiro

Toda vez que a gente escuta da roubalheira nas empresas públicas, a gente pensa direto: devia vender tudo. É assim mesmo que a elite política e econômica do país quer que a gente pense. Porém, a verdade é que as privatizações são um grande negócio para os capitalistas. Mercados enormes são transferidos para o controle privado. Empresas muito valiosas são transferidas por preços inferiores ao que valem. Ricas comissões são distribuídas nas transações.

Há muito dinheiro a ser ganho por empresários nas empresas públicas e, também, na privatização do ensino e da saúde. A luta em São Paulo, pela reorganização escolar, tem como pano de fundo o objetivo de privatizar, de transferir escolas para “organizações sociais”, exatamente como foi feito na saúde. O argumento é sempre o mesmo: tudo funcionará melhor nas mãos da iniciativa privada. Diga com sinceridade se os serviços privatizados estão te atendendo bem? Você acha que paga preços justos no telefone, na eletricidade? Você viu sinais da competência privada no desastre de Mariana?

Você sabe quem mais empresta dinheiro para compra da casa própria?

Quase todos os financiamentos imobiliários do Brasil são feitos pela Caixa Econômica Federal. Praticamente todo mundo que compra uma casa tem lá sua prestação com ela. Os bancos privados não vão continuar a fazer esses financiamentos se comprarem a Caixa. Somente uma instituição, que não tenha como primeiro objetivo o lucro, consegue fazer o que a Caixa faz.

Você sabe quem mais empresta dinheiro para os produtores rurais?

Empréstimo rural tem muitos riscos: depositamos os recursos na terra e, se a natureza não ajudar, podemos perder tudo. Desde de sempre o Banco do Brasil faz esse papel de financiar o produtor, mas, especialmente, faz o papel de renegociar quando a safra não vinga. Esse não é o papel de um banco privado. Se o Banco do Brasil for privatizado quem financiará a agricultura?

Você sabe quem mais empresta dinheiro para investimentos em infraestrutura?

Acusam os governos Lula e Dilma de terem aumentado a dívida pública bruta nos últimos anos (a dívida líquida caiu muito desde FHC). Esquecem, contudo, de dizer que parte do dinheiro foi usada para comprar dólares, hoje temos reservas acima de 370 bilhões de dólares. E outra parte grande não foi gasta, foi emprestada para o BNDES que financia o investimento de muitas empresas, especialmente a construção de hidrelétricas, portos, rodovias, ferrovias, etc. Como o BNDES empresta, a maior parte do dinheiro vai voltar, a inadimplência nele é menor do que nos bancos privados. Brecar o BNDES significa brecar o investimento no país. A única saída para o empresário que quiser financiamento de longo prazo será pedir emprestado no exterior, em dólares.

Você sabe que nos anos 70 o Brasil quebrou por que não tinha petróleo?

Na primeira crise do petróleo, em que os preços foram multiplicados por dez, o Brasil não tinha nada de petróleo e nem tinha dólares para comprar dos países produtores. Tivemos recessão e construímos uma dívida externa gigante. Nosso crescimento, que vinha sendo dos mais acelerados do mundo, simplesmente estancou por duas décadas. Os investimentos feitos na Petrobras foram descobrindo poços no mar e hoje somos autosuficientes, não precisamos gastar dólares para ter petróleo. É por isso que achamos uma enomre irresponsabilidade querer entregar essa empresa e suas descobertas para empresários privados, sejam brasileiros ou não. Há muito o que se corrigir nela, mas há um conhecimento acumulado que será jogado fora se abrirmos para outras empresas ou se a privatizarmos.

A gente devia lutar, não para vender a empresa que é roubada, mas para termos cada vez mais fiscalização. Precisamos de leis e que o Judiciário as aplique. A lei que hoje permite que a Lava Jato prenda empreiteiros envolvidos em proprinas foi proposta e sancionado por Dilma. Nós nunca tínhamos visto um corruptor ser condenado por dar propipnas a um funcionário público. Não existia a lei que caracterizasse esse crime. E agora? Agora temos a lei e precisamos exigir que o Judiciário a aplique, sem poupar ninguém, sem perseguir ninguém.

O documento Ponte para o futuro, no qual Temer e PMDB apontam suas políticas econômicas preferidas, afirma que é fundamental “executar uma política de desenvolvimento centrada na iniciativa privada, por meio de transferências de ativos que se fizerem necessárias, concessões amplas em todas as áreas de logística e infraestrutura, parcerias para complementar a oferta de serviços públicos e retorno a regime anterior de concessões na área de petróleo, dando-se a Petrobras o direito de preferência.”

Entregar tudo para o capital privado, esse é o resumo. A Caixa, o Banco do Brasil, o BNDES, Petrobras e outros são tesouros ambicionados pelo capital privado há anos. Como os Fernandos (Collor e Henrique) não conseguiram entregar todos os tesouros, a oposição aposta em tirar Dilma para terminar o serviço. Não é Lula, nem Dilma que eles querem. Querem lucrar com o patrimônio construído por todo o povo brasileiro.

 

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

NÃO À PRIVATIZAÇÃO DO METRÔ BH CONTAGEM

PELA AMPLIAÇÃO DO METRÔ PÚBLICO, COM PARTICIPAÇÃO POPULAR E TARIFA SOCIAL! O Bloco Esperando o Metrô, reafirma sua posição contrária à privatização da Companhia Brasileira