Nós, nordestinos, fomos promovidos à categoria de Gente

Uma carta para o presidente Lula

DE: Gabriela Fernandes
PARA: Lula

07 de abril de 2018

Nasci e cresci no interior de Pernambuco. Sempre tive comida na mesa, energia elétrica, acesso a livros, televisão, educação de qualidade. Mas minha situação era exceção. Bem ali ao meu lado, entre meus vizinhos, conhecidos, colegas, a regra era o aperto. A regra era não poder comprar uma geladeira nova se a velha quebrasse. A regra era não ter acesso à tecnologia, não ter laje na casa, estudar em locais sem o mínimo de infraestrutura. A regra era só ter acesso a médicos e tratamentos de saúde em casos de vida ou morte. Na zona rural especialmente, a regra era não ter luz elétrica, água potável, gás de cozinha ou transporte escolar. Isso não faz muito tempo. Toda essa realidade foi logo ali, nos anos 90.
Em 2002, fiz um trabalho da escola sobre a eleição de Lula, esse aí abaixo nas fotos. Minha mente imatura aos 9 anos jamais poderia prever a dimensão das transformações que aquela vitória traria para a vida de absolutamente todas as pessoas que conviviam comigo naquela época.

Os ares eram outros. Nós, nordestinos, sempre preteridos nas políticas governamentais, viramos protagonistas no governo Lula. Pernambuco virou um grande canteiro de obras. O pobre pôde construir sua casa de laje, colocar uma televisão na sala e uma geladeira na cozinha. O pobre pôde comprar roupa nova, sapato pra ir à escola, pôde viajar de avião pra visitar o parente em São Paulo, pôde voltar de São Paulo porque os empregos passaram a ser gerados aqui. Até o comerciante rico, aquele que hoje joga pedras, viu melhorar exponencialmente suas vendas, pôde contratar mais empregados, trazer mercadorias mais variadas, expandir seu negócio.

Em 2011 saí de casa pra cursar Direito em uma universidade pública no sertão de Pernambuco. Uma universidade pública no sertão de Pernambuco. Pública! No sertão de Pernambuco! E lá pude ver ainda mais de perto a drástica mudança na vida da população outrora marginalizada, que morria de fome na seca, mas que, graças as políticas sociais do governo Lula, foram promovidos a categoria de GENTE!

É com lágrimas nos olhos e um aperto profundo em meu coração que recordo e escrevo esse texto. O homem que no fim de sua vida merecia todas as homenagens e glórias, é vítima de uma perseguição midiática e judicial que agora culmina na sua injusta prisão. Hoje é um dos dias mais tristes da nossa história. Mas não é o escracho da mídia golpista ou a atuação criminosa das instituições que serão capazes de apagar dos nossos corações o sentimento de gratidão ao Presidente Lula.

Obrigada, Lula, por nos dar a possibilidade de sonhar, de estudar, de crescer em um país minimamente justo. Obrigada por sua determinação em saciar os famintos, educar os marginalizados, obrigada pela diminuição na desigualdade social, obrigada por fazer o nordeste ser respeitado no Brasil e o Brasil ser respeitado no exterior. Obrigada por ser o maior líder da história da América Latina. Estamos com você, lutaremos por você. Sua semente foi plantada, germinou e está crescendo em nossos corações no fértil solo da gratidão. Força!

Categorias
Geral
Um comentário
  • Ângela Dias de Arruda Câmara
    9 abril 2018 at 21:03
    Comente

    Somos milhões de Lulas!!! Milhões!

  • Deixe uma resposta