“INSS não precisa de intervenção militar”

Arquivo/Agência Brasil

 

 

Por meio de nota, a entidade lembrou que vem alertando para a carência de pessoal desde 2016, o que tem deixado milhões de processos aguardando análise, “uma bomba-relógio de efeito retardado”.

 

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS