Identificados dois dos três covardes que agrediram mulher em ato pró-Bolsonaro

Não permitiremos que uma mulher seja atacada em plena rua e que os agressores fiquem no anonimato!

Jaderson Soares Santana e Eliezer - Reprodução facebook

Na primeira foto desta reportagem, à esquerda, vê-se Jaderson Soares Santana. À direita, o companheiro dele, Eliezer. Ambos atacaram uma mulher que ousou atravessar uma manifestação na avenida Paulista, que reunia apoiadores de Jair Bolsonaro, neste domingo (7/4). Por ter criticado Bolsonaro e Sergio Moro, ela foi imobilizada e enforcada pelos corajosos machões.

Aqui, a foto da agressão:

Homens atacam mulher na avenida Paulista, durante ato pró-Bolsonaro – Foto de Jardiel Carvalho

Nesta foto, Jaderson é o que está de óculos e camisa branca; Eliezer, musculoso, veste uma camisa polo azul arroxeada.

A polícia, que a tudo assistiu, só resolveu intervir depois que aplicaram na mulher o golpe chamado “mata leão”, que poderia tê-la matado.

Jaderson Soares Santana é mestre em Literatura e Crítica Literária pela PUC de São Paulo. Trabalha no TRF-3, como analista judiciário (oficial de justiça). Em sua dissertação de mestrado, intitulada “As marcas do autor em ‘O Ano da morte de Ricardo Reis'”, apresentada em 2016, Jaderson dedicou o trabalho:

“A Eliezer, meu companheiro, e aos meus três filhos que dividem seu dia a dia conosco”.

Estudantes da PUC que conviveram com o casal reconheceram Eliezer como o homem transtornado que cai no chão da avenida Paulista e depois se lança contra a mulher, até agora não identificada.

Com a péssima repercussão da agressão dos machões contra a mulher, a página de Jaderson Soares Santana no facebook começou a ser bombardeada por pessoas que o reconheceram nas fotos e vídeos divulgados.

Um colega de estudos perguntava-lhe: “Jaderson, você se reconhece nesta imagem?” e postou uma foto, a mesma da agressão, que você pode ver acima.

Jaderson Soares Santana, que no facebook identificava-se apenas como Jaderson Santana, postava inúmeras mensagens de apoio a Sergio Moro, a Jair Bolsonaro e a movimentos de extrema direita. Corajoso (SQN), ele foi incapaz de dar conta do fato de ter sido descoberto como agressor de mulheres. Tentou mudar o nome para “Paulo Mores” e, por fim, deletou a página.

Jaderson tira sua página do ar

Estamos ainda atrás do terceiro agressor, o homem de blusa cor de salmão, que dá a gravata na mulher. Vc o conhece, tem informações sobre ele? Também estamos em busca de contato com a jovem que foi atacada pelo brutamontes. Por favor, quem tiver informações sobre esse caso, envie para nosso email: [email protected]

Manteremos sigilo sobre a origem das informações.

NÃO PODEMOS PERMITIR QUE UMA MULHER SEJA ATACADA DESSA FORMA COVARDE E QUE OS AGRESSORES ESCONDAM-SE NO ANONIMATO! NOIX!

Veja o vídeo:

Categorias
DestaquesDireitos HumanosFeminismoGeralLGBTMachismo e misoginiaManifestaçõesmulheresPolíticaSão Paulo
12 comentários:
  • Ana Maria Silveira
    9 abril 2019 at 1:32
    Comente

    “Não precisa explicar, eu só queria entender” por que homo-afetivos, afrodescendentes, eco-defensores, nordestinos, mulheres, LGBTs, cristãos verdadeiros votaram e ainda defendem esse sociopata apedeuta .

  • Arthur Augusto da Costa Carvalho
    9 abril 2019 at 5:54
    Comente

    Triste Brasil. Lamentável. Está cada vez mais difícil conviver com tanta covardia, ignorância e fascismo. Parabéns a moça que com muita coragem enfrentou com muita dignidade a violência desses três monstros.

  • Sergio Furtado Cabreira
    9 abril 2019 at 5:55
    Comente

    E A POLICIAL POR DETRÁS DA CENA… OMISSA, COVARDE, DESCUMPRIDORA DA LEI, FUNCIONÁRIA E SERVIDORA QUE DEVERIA SER SUBMETIDA A INQUÉRITO DISCIPLINAR ADMINISTRATIVO?

  • Adilson Bueno de Almeida
    9 abril 2019 at 11:51
    Comente

    São portadores de Síndrome de Estocolmo !

  • Fernando Rossas
    9 abril 2019 at 12:07
    Comente

    Existe um quarto agressor, um homem careca que dá uma cusparada na mulher. Vocês podem constatar essa agressão no 28º segundo do vídeo que flagrou a agressão coletiva.

  • KAELLY VIRGINIA DE OLIVEIRA SARAIVA
    9 abril 2019 at 13:07
    Comente

    Que país! De onde saíram esses ratos fascistas e covardes? Merecem ser processados

  • Diego Loureiro
    9 abril 2019 at 14:06
    Comente

    Ana Maria Silveira, eu me faço a mesma pergunta todos os dias desde outubro de 2018…

  • Felipe Neri
    9 abril 2019 at 15:14
    Comente

    Ana Maria Silveira, homossexuais, ou homo-afetivos, também podem ser preconceituosos, também podem ser racistas, também podem ser conservadores. A verdade é que são pessoas, e não suas classificações. São pessoas com defeitos como todas as outras.
    O entendimento de mundo de cada um e como devolvem esse entendimento na forma de contribuição social é a particularidade que nem sempre a gente consegue entender, e isso é normal. Mesmo que não concordemos.
    O certo, da nossa parte, é não estereotipar pessoas de acordo com nada. Cada um é cada um.
    PS.: Entenda apenas como um diálogo despretensioso.

  • Daniela Cestarollo
    9 abril 2019 at 16:54
    Comente

    Casal gay de meia idade, reacionário e de extrema direita, agredindo uma mulher de forma brutal, é o mesmo que uma banda de rock dos anos ’60 fazendo campanha contra o consumo de álcool e drogas?! É a coisa mais anacrônica que vi e ouvi falar na minha vida.

  • Bruno Maia
    9 abril 2019 at 16:56
    Comente

    Estou bege que eram duas cacuras

  • Valdenir Cruz Santos
    9 abril 2019 at 17:36
    Comente

    Nem Freud explica!!

  • Castro Alves
    12 abril 2019 at 8:42
    Comente

    Vejam, os caras são homossexuais e mesmo sendo pessoas supostamente cultas e com acesso às melhores informações, isso não foi suficiente pra moldar um bom caráter. Continuam analfabetos culturais e morais. Isso mostra que nossa maior carência, não é propriamente estudo. É bom caráter!

  • Deixe uma resposta