Festival Favela em Casa. Arte e cultura da periferia dentro da sua casa

Festival Favela em Casa. Difusão da arte e cultura das periferias e favelas da Grande São Paulo.
Favela em Casa
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Festival Favela em Casa promove a difusão da arte e da ação cultural produzidas pelas periferias e favelas da Grande São Paulo. Na noite de abertura, show de Drik Barbosa será transmitido ao vivo pela série Música #EmCasaComSesc;

Idealizada e produzida por Andressa Oliveira, Marcelo Rocha e Coletivo Favela em Casa, programação é gratuita e reúne música, teatro, dança, literatura e audiovisual , além de uma série de talks, em 12 horas de programação. Transmissões acontecem pelas redes sociais do Sesc São Paulo e do Festival Favela em Casa.

Favela em Casa

Expansão, ativação e colaboração

Iniciativa busca expandir os espaços de produção e difusão artísticas, além de ativar coletivos, artistas e profissionais da cadeia da cultura que foram especialmente impactados pela crise sanitária atua .

O Festival Favela em Casa é uma iniciativa de dois jovens produtores da Grande São Paulo, com o objetivo de promover a arte e a ação cultural nativas das periferias, e que utiliza a potencialidade dos meios digitais para divulgar a produção de artistas independentes em diferentes territórios, para além das bordas dos grandes centros urbanos. Idealizado por Andressa Oliveira, moradora do Campo Limpo, extremo sul da cidade de São Paulo, e pelo articulador cultural e fotógrafo Marcelo Rocha, da cidade de Mauá, no ABC Paulista, o evento de múltiplas linguagens artísticas vai reunir mais de 35 atrações, entre músicos, performances teatrais e dança, profissionais do cinema e da literatura, artistas visuais,e pensadores, nos dias 18, 19 e 20 de setembro, em uma maratona de 12 horas de programação.

Favela em Casa
Produtores do Festival, Andressa Oliveira e Marcelo Rocha

Democratizações dos espaços para a cultura da periferia e da favela

Comprometido com a democratização dos espaços de produção e difusão artísticas, o Sesc São Paulo direciona a estrutura de sua rede para realizar esse encontro entre o público e a produção de jovens que atuam nas periferias da Grande São Paulo, região afetada de maneira mais acentuada pela atual crise sanitária, e dar visibilidade à arte urbana e periférica, ampliando as condições de acesso aos conteúdos da cultura aos diferentes públicos. Com show de Drik Barbosa, a ação que marca a abertura do festival será transmitida ao vivo, no dia 18 de setembro, às 19h, pela série Música #EmCasaComSesc, exibida pelo Instagram Sesc Ao Vivo e pelo canal do Sesc São Paulo no Youtube. As demais atrações serão exibidas pelo canal do Festival Favela em Casa no Youtube e Instagram do Festival Favela em Casa. Nove unidades do Sesc também transmitirão trechos da programação em suas redes sociais. São elas: Campo Limpo, Carmo, Itaquera, Ipiranga, Parque Dom Pedro II, Santana, Santo André, São Caetano e Vila Mariana.

Favela em Casa

“Em decorrência da pandemia, as desigualdades sociais e econômicas têm se agravado, e os artistas e coletivos culturais das periferias da Grande São Paulo, região que chegou a ser o epicentro em volume de contágios no país, foram dramaticamente atingidos por essa situação, na medida em que que boa parte de suas iniciativas se realizam na ocupação da cidade, ruas, praças e outras áreas públicas destinadas ao encontro”, observa Danilo Santos de Miranda, diretor do Sesc São Paulo. E complementa: “A ativação dessa gama de profissionais das amplas práticas socioculturais, que são nossos parceiros na consecução de nossa missão institucional, é uma medida indissociável da atuação do Sesc, porque diz respeito à nossa responsabilidade socioeducativa, enquanto fomentadores que somos, inseridos na cadeia produtiva da cultura no estado de São Paulo e no país como um todo”.

Favela em Casa. Gerando renda. Periferia consumindo periferia

“O Favela em Casa foi pensado para ser uma vitrine para artistas independentes de favela que estão fora da bolha do mainstream e também gerar renda. Criamos um festival para ser gerenciado e produzido por uma equipe composta, majoritariamente, por pessoas periféricas, pretas e independentes, protagonistas e responsáveis pela condução da narrativa que queremos compartilhar”, conclui Andressa Oliveira, idealizadora do festival ao lado de Marcelo Rocha, que complementa: “O Festival surgiu do nosso sonho de movimentar e incentivar os artistas das nossas comunidades, especialmente nesse momento de pandemia. E esse nosso sonho se tornou maior com com a parceria do Sesc, que foi fundamental para a visibilidade dos nossos artistas e da nossa causa, que também passa pela sustentabilidade socioeconômica dos trabalhadores da cultura nas favelas”.

No line up, a presença de artistas das diferentes regiões da Grande São Paulo indica a diversidade de identidades e sotaques que compõem a programação, selecionada por um time de curadores atentos à multiplicidade de estilos e à inserção de trabalhos ainda não contemplados por outros editais de incentivo durante o período de pandemia. Com formato híbrido, as transmissões revezam-se entre performances ao vivo e gravações realizadas no Estúdio Curva, na capital paulista, e incluem, além de apresentações artísticas, uma série de talks sobre carreira, memória e literatura com convidados, das quais participam artistas e outras figuras que tem trago novos olhares para a produção cultural e intelectual da cidade.

Favela em Casa

Confira mais informações sobre a programação aqui:

https://www.instagram.com/festivalfavelaemcasa/

MÚSICA Emcee lê, Tasha e Tracie, Wera MC, Rap Plus Size, Sóbatuke, Red Lion, Tonyyymon, Bia Doxum, Ôbigo.

LITERATURA Felipe Marinho, Kimani, Jessica Campos, Eleison Leite, Roberta Estrela D’alva.

DANÇA Aline Constantino, Babiy Querino, Djalma Moura, Vanessa Soares, Keyson Idd, Débora Regi.

TEATRO William Sampaio, Grupo Identidade Oculta, Ícaro Pio.

AUDIOVISUAL Preto no Branco, de Valter Rege

TALKS encontros com duração de 20 minutos, gravados pela plataforma zoom. Versões mais enxutas e editadas serão veiculadas no Festival. As versões completas (cerca de 1h de duração) ficarão disponíveis posteriormente no canal do youtube do Favela em Casa, junto com toda a programação.


SERVIÇO

FESTIVAL FAVELA EM CASA

Idealização e produção: Andressa Oliveira, Marcelo Rocha e Coletivo Favela em Casa

Apoio: UNIFESP – Universidade Federal de São Paulo

Realização: Sesc São Paulo

18 a 20 de setembro. Sexta e sábado, 19h às 23h. Domingo, 15h às 19h.

Abertura: Instagram Sesc Ao Vivo | Canal Sesc São Paulo no Youtube | Canal Festival Favela em Casa no Youtube

https://www.youtube.com/channel/UC0pxYjXo9QzRWn7NkyG9u0g/featured

Programação: Canal Festival Favela em Casa no Youtube | Facebook Festival Favela em Casa e redes sociais das unidades do Sesc Campo Limpo, Carmo, Itaquera, Ipiranga, Parque Dom Pedro II, Santana, Santo André, São Caetano e Vila Mariana.

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

>