Por que NÃO se comemorou a VITÓRIA de SERENA WILLIAMS

AELTC/Joel Marklund . 09 July 2016

O artigo de Caetano Biasi para os Jornalista Livres destacou o quanto a impressa brasileira ocultou a vitória da tenista, não apenas não noticiando mas, destacando mais uma vez sua musculatura, e dando enorme destaque para o processo da tenista russa Maria Sharapova, que tem 5 títulos do Gran Slam, em vez dos 22 de Serena, e está suspensa por doping.

Mas no panteão branco, elitista e machista dos tapetes verdes do tênis mundial… não haveria de ser diferente, ou pior.

É quase impossível achar vídeos sobre Serena no site oficial do evento.

Também no canal do Youtube é quase impossível achar os vídeos das partidas de Serena ou de Venus Williams:

No 9º lugar na playlist aparece pela primeira vez o vídeo da final feminina.

Na página principal do torneio de Wimbledon do facebook, fora a “capa da página” que contém a foto oficial dos ganhadores_ a mesma que foi ridicularizada pela imprensa brasileiria_ dos 116 posts analisados, 22 citam Serena Williams especificamente. Destes, pelo menos 3 citam as oponentes de Serena em destaque ou em primeiro lugar como nos exemplos:

” mesmo Serena Williams está aplaudindo…” Angelique Kerber pode ter perdido uma final emocionante, mas ela ainda produziu, sem dúvida, a maior disputa de lance da partida…

Olhando a timeline da página, neste momento (em 16/7), apenas no 10º post, é possível ver uma menção a SERENA, mesmo assim onde se destaca a destreza de sua oponente Chistina McHale em enfrentar a campeã. O 4º post da timeline cita Angelina Kerber, que ficou em 2º lugar, sem citar Venus Williams, sendo que a imagem mostra as duas jogando a semi-final. Aliás a vitória de Venus e Serena na final de duplas, é citada uma única vez, num quadro que se chama, “Problema em Dose dupla” (tradução livre).

Quatro posts ao todo referem-se às comemorações do título por Andy Murray e Serena Williams juntos. Sempre com mais imagens de Murray.

E dos 114 posts analisados, 44 falam de Andy Murray explicitamente, 22 de Serena (alguns com menções indiretas), 4 de ambos e 44 de outros assuntos do evento.

Evidentemente NÃO comemoram na mesma proporção ou ênfase a vitória Serena Williams, se comparada à de Andy Murray.

andys_01s_01

andy_02

SERENA_01

Quando Serena Williams é citada, ela é evidentemente colocada numa posição de derrota, ou “não  vitória”. Ou é destacada uma atitude de vingança contra sua oponente Angelique Kerber, destacando as derrotas de Serena para Kerber no aberto da Austrália.

No álbum de fotos da VITÓRIA de SERENA sobre Kerber, esta aparece em 4 fotos, em imagens propositalmente “mais vencedoras”. Não é mera coincidência ou falta de atenção dos organizadores que este post seja colocado desta maneira:

Screen Shot 2016-07-15 at 4.48.56 PM

Screen Shot 2016-07-15 at 11.26.58 PM

São pequenos detalhes, mas o leitor atento, acostumado ou não com esta barbárie, vai encontrar um significado.

Ok! Nada de novo…

Ops! Por que sempre pensamos assim?

Tudo continua igual e o racismo/machismo cordial, num dos esportes mais elitistas do mundo, vai ter que engolir Serena Williams como teve que engolir o Tiger Woods no Golfe e Lewis Hamilton, na Fórmula 1, entre outros. Mas no caso de Serena se igualar a Steffi Graf, não vai ser suficiente, não para ter a mesma visibilidade.

O CORPO QUE A MULHER HABITA

Mas o que pesa ainda mais é que o preconceito contra a mulher vai sempre esbarrar na imagem do corpo feminino. E isso é um ponto chave para entender o quanto Serena Williams e Venus Williams sofrem e já sofreram com isso.

O G1. Portal além de NÃO destacar a vitória de Serena nomeia a sua galeria de fotos sobre a atleta:

Das trança aos músculos, os 22 Grand Slams de Serena. 

Vejam as legendas! É assustador!

Um artigo muito interessante e detalhado de Jenée Desmond-Harris, da Vox.com e traduzido no blogueirasfeministasanalisa e demonstra os ataques que sofreu Serena desde o começo de sua carreira, e outros aspectos muito importantes e subliminares “da tríade do inferno: misoginia, racismo e transfobia” como define Corin Gaston da Ms. Magazine, citada neste artigo.

Preparem o saquinho de vômito porque não são poucos os ataques que essa guerreira sofreu. Um bastante sintomático foi o que motivou o boicote por parte das irmãs Williams por 10 anos ao Aberto de Indian Wells, na Califórnia. Para não falarmos que este problema pode ser de Wimbledon.

Veja o video da Vox.com:

 

O corpo de Serena é tachado como “não feminino”, agressivo,  “destruidora” e “esmagadora”[…], nas palavras de Delia Douglas,  “invocando a ‘gramática antiga da fisicalidade negra’ ” […] “os estereótipos do ‘perigoso’ corpo negro e da ‘forte mulher negra’ , no artigo de Jenée na Vox.com, que cita outro artigo da Ms. Magazine, de 2012, de Anita Little, conecta a silhueta de Serena Williams com o “legado da ‘Venus de Hotentote’ ” mulher africana exposta em show de horrores nos anos 1.800.

via GIPHY

Nesta imagem acima, a fusão da ilustração de época da Venus de Hotentote com a imagem da “brincadeira” da colega dinamarquesa, a tenista Caroline Wozniacki.

Serena é exposta no circo de horrores da mídia moderna, quase tão branco, misógino e machista quanto em 1.800.

Nas imagens de divulgação da galerias da VITÓRIA ESMAGADORA de SERENA, é possível, ver quão branca é esta tenda de Wimbledon, onde muito poucos negros, apenas do porte monetário de Beyoncé e J-Z, podem estar.

Também é possivel ver o sorriso de uma das poucas jovens negras, que puderam testemunhar tal vitória.

AELTC/Thomas Lovelock . 09 July 2016. Divulgação.
AELTC/Thomas Lovelock . 09 July 2016
AELTC/Thomas Lovelock . 09 July 2016. Divulgação

Por conta disso e de tudo o mais resolvemos fazer nossa homenagem a ESTA CAMPEÃ que não apenas CONQUISTOU UM RECORDE de vitórias em Wimbledon, equiparando-se a tenista alemã Steff Graff…

Screen Shot 2016-07-15 at 3.31.13 PM

Mas vai ajudar a construir a mudança deste imaginário coletivo e midiático da imagem da mulher negra, num dos ambientes mais inóspitos.

E como disse Djamila Ribeiro:

” Sei que esse recorde de Serena não altera nossas vidas concretamente,
mas nos dá a oportunidade de acreditar. Vida longa à campeã.”

Vida longa… A SERENA WILLIAMS

Veja mais sobre a “Venus de Hotentote”, no Filme Venus Negra, do diretor Abdellatif Kechiche.

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Jornalistas Livres

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

Lula e Xi: por nova ordem mundial

Coincidência vai além do terceiro mandato e é vista em discurso que desenha uma nova configuração da forças politicas no mundo, onde o protagonismo pode

Craque dentro e fora do campo

O centroavante Richarlison ganhou cerca de 4 milhões de seguidores em seu Instagram após fazer os dois gols na vitória do Brasil contra a Sérvia.