Eu festejo a condenação de Danilo Gentili. Por Lola Aronovich

O assunto nas redes sociais ontem era a condenação do reaça misógino, racista e homofóbico Danilo Gentili a seis meses e 28 dias de prisão em regime semiaberto por injúria à deputada Maria do Rosário (PT-RS).

POR LOLA ARONOVICH, blogueira feminista

O assunto nas redes sociais ontem era a condenação do reaça misógino, racista e homofóbico Danilo Gentili a seis meses e 28 dias de prisão em regime semiaberto por injúria à deputada federal Maria do Rosário (PT-RS).

Em 2016 o reaça disfarçado de humorista publicou vários tuítes contra a deputada, como faz cotidianamente contra mulheres em geral (euzinha, a deputada Sâmia Bonfim, a youtuber Alexandra Gurgel, entre inúmeras outras). A intenção é sempre a de divulgar sua ideologia de direita contra ativistas e de atiçar seus milhões de seguidores a atazanarem a vida de mulheres que trabalham e não têm medo. Maria do Rosário então pediu, via notificação extrajudicial, que Gentili apagasse os tuítes com insultos chamando-a de falsa, cínica e nojenta.

Qual foi a reação de Gentili? Um vídeo que quase todo mundo viu: alegando que paga o salário da deputada e que pode dizer o que quiser, ele rasgou a notificação, a esfregou nas suas partes íntimas, por baixo da calça, e concluiu, num show de misoginia: “Maria do Rosário, chegando minha cartinha, abre ela, tira o conteúdo, sinta aquele cheirinho do meu saco e abra a bunda e enfie bem no meio dela tudo isso aí que eu estou mandando agora pra você”.

Nada de muito chocante pra quem já fez “piada” discordando de Jair Bolsonaro e dizendo que a deputada merece sim ser estuprada.

A juíza Maria Isabel do Prado, que decidiu pela condenação criminal de Gentili, justificou que a intenção do comediante não era humorística, e sim de insultar e humilhar. Ao receber a notificação, segundo ela, ele “poderia simplesmente ter discordado ou ter buscado a orientação jurídica de advogados para acionar pelo que entendesse ser seu direito”, mas optou por gravar um vídeo “altamente reprovável e ofensivo”.

Alguma dúvida que esta juíza já deve estar recebendo ameaças de morte e estupro desde anteontem? A lógica é a mesma. Não tem a ver com humor. Tem a ver com misoginia, com poder e humilhação, com subjugar as mulheres.

É óbvio ululante que Gentili não vai passar nem um minuto na cadeia. A pena será substituída por prestação de serviços comunitários e multa. Mas, se mantida a condenação, ele ao menos não será mais réu primário. Já é alguma coisa pra quem goza da impunidade faz tanto tempo. Por outro lado, a condenação está lhe dando muita publicidade. As buscas por seu nome no Google aumentaram 4.000% nas últimas 24 horas. E ele, assim como o presidente dele, é adepto do “falem mal mas falem de mim”.

Gentili tem um longo histórico de atacar minorias. Seu humor não é o de criticar poderosos, muito menos o sistema, e sim de xingar ativistas e pessoas comuns. Em 2012, por exemplo, Thiago Ribeiro, um jovem redator negro, fez um vídeo em que juntou vários momentos racistas do humorista. Gentili lhe mandou um tuíte: “Sério, vamos esquecer isso… Quantas bananas vc quer pra deixar essa história pra lá?”.

Imagino que agora em 2019 isso seria interpretado como racismo, mas, cinco anos atrás, a 10a Vara Criminal da Justiça de SP absolveu o humorista porque não houve “intenção de ofender a vítima”.

Ah sim, tem mais um detalhe: Gentili, este defensor incansável da liberdade de expressão, conseguiu tirar o vídeo de Thiago do ar.

Em 2013, Gentili fez piadas no seu programa de TV contra a maior doadora de leite do Brasil, Michele Maximino. Michele era uma mulher comum, casada, mãe de dois filhos, conservadora até, habitante de uma cidadezinha em Pernambuco, mas ela todos os dias dirigia 80 km para levar seu leite materno a Caruaru. Sua doação diária era responsável por 90% do banco de leite do hospital de lá. Ela não ganhava nada com isso, fora a certeza que fazia a coisa certa de ajudar outros bebês.

Gentili achou divertido mostrar fotos de Michele em seu programa, falar das “tetas” dela, comparar o leite dela ao “leite” de um ator pornô, fazer montagem com uma das fotos, transformando-a em “Leite da Moça”.

Michele passou a ser hostilizada na sua cidade com menos de 25 mil habitantes, apelidada de “vaca do Gentili”. Ela e a família tiveram que se mudar por virarem motivo de chacota. Ela processou Gentili, ganhou, ele recorreu o quanto pode, e agora em janeiro saiu a sentença definitiva: Gentili terá que indenizar Michele em 200 mil reais. O que deve representar, sei lá, metade do salário do humorista e apresentador em um mês?

Durante o processo da votação do impeachment de Dilma, em 2016, Gentili, para marcar seu posicionamento, achou engraçado questionar se a senadora negra e nordestina Regina Sousa (PT-PI) seria de fato senadora. “Senadora? Achei que fosse a tia do café”, deixando claro seu racismo nada enrustido.

A única ocasião em que Gentili pediu perdão por uma piada foi em 2011, quando escreveu um tuíte sobre os moradores de Higienópolis (onde há muitos judeus) serem contra o metrô no bairro (“Entendo os velhos de Higienópolis temerem o metrô. A última vez que eles chegaram perto de um vagão foram parar em Auschwitz”). A Band, sua emissora na época, sentiu a pressão dos patrocinadores e mandou ele se retratar.

No mesmo dia do tuíte odioso, Gentili obedeceu, e disse em seu Twitter: “Minha intenção como comediante nunca foi trazer nenhum outro sentimento ao público q não fosse alegria. Peço perdão se falhei nesse meu objetivo com a piada q fiz essa tarde. Me coloco a disposição da comunidade Judaica para me redimir”.

Nada de oferecer bananas a um negro que protesta contra racismo, ou de esfregar no saco a notificação de uma deputada mulher. Quando o alvo da piada é um grupo com poder econômico um pouco maior, a defesa da liberdade de expressão irrestrita some rapidinho.

E por falar em liberdade de expressão, dói ver a maioria dos humoristas — quase todos homens brancos e héteros — defendendo Gentili. Eles raramente defendem os alvos das “piadas” do humorista, mas creem que o humor pode tudo, e que é censura condená-lo, ainda mais com uma sentença de prisão (imagino que eles saibam que Gentili não será preso, né?).

Também vi gente se manifestando contra o “punitivismo” de prender alguém, ainda mais alguém tão inofensivo. Bem, vejamos: um carinha que nunca matou ninguém — não estou falando de Gentili –, mas que faz fóruns anônimos festejando massacres e recrutando rapazes para cometê-los é inofensivo?

Ou é só liberdade de expressão? Ao ser acusado, ele não pode alegar que foi tudo uma piada? E se eu ofender alguém, chamando-o de estuprador, e, ao ser processada, fizer um vídeo rasgando e esfregando o papel nas minhas partes íntimas? Tudo bem? No processo, eu posso alegar que só estava brincando, que não foi minha intenção insultar?

Acho que quem reclama do “punitivismo” na condenação de Gentili sabe que o sistema que prende e tortura uma mulher pobre por furtar uma lata de leite condensado num supermercado é o mesmo que permite que não seja preso um senador gravado pedindo dinheiro pra empresário corrupto e dizendo que mataria o primo se o delatasse. É também o mesmo sistema que permite que um humorista que faz carreira perseguindo mulheres e negros tenha no máximo que pagar uma parcelinha de seu salário se porventura for condenado.

Ironicamente, o público de Gentili é o mesmo que quer que eu vá presa por defender a legalização do aborto (acho que é meio a meio: metade me quer presa, metade me quer fuzilada). É o mesmo que celebra quando sou processada por misóginos que me ameaçam de morte e estupro e fazem de tudo pra destruir minha vida (Marcelo, ou “Psy”, que passou cinco anos ininterruptos me ameaçando e atacando, e que finalmente foi condenado a 41 anos e está preso desde maio, já me processou duas vezes). Aliás, parte do público de Gentili é aquele composto por grupos neonazistas e misóginos que planejam e executam massacres em escolas e que veem o humorista como um dos seus.

Por que será que os piores cidadãos de bem do Brasil (entre eles o  presidente fascista, que não deu um pio sobre a execução de um pai de família negro pelo exército, mas escreveu um tuíte se solidarizando com Gentili) identificam o stand-up bully como sendo da mesma trupe? Bom, em dezembro de 2015, quando o Profissão Repórter dedicou um programa à luta feminista contra os misóginos, chegando ao ponto de tentar entrevistar Marcelo, Gentili se posicionou. Não contra gangues que ameaçam mulheres e negros, mas contra mim — como se algum dos onze boletins de ocorrência que fiz foi por alguém ter me chamado de gorda.

Gentili tem um ódio todo especial por mulheres gordas (pode chamar de gordofobia, se preferir).

Se você já foi gorda alguma vez no seu passado, como é o caso da candidata a vice-presidente Manuela D’Ávila, você será “zoada” pelo eterno “pior aluno da escola” (Gentili escreveu um livro glorificando o bullying. O livro virou filme com apoio da Lei Rouanet. Nossos impostos pagam campanha pró-bullying). Simples assim.

A deputada federal Maria do Rosário, provavelmente a mulher mais atacada do Brasil (fazem ataques orquestrados até à filha menor de idade dela!) há anos, é fina demais para comemorar a condenação de Gentili.

Mas eu festejo sim. É uma vitória coletiva de todas nós que somos frequentemente atacadas pelo humorista e seu séquito. E vale perguntar se Gentili mantém o que disse aos judeus ofendidos — “minha intenção como comediante nunca foi trazer nenhum outro sentimento ao público que não fosse alegria”. Qual é a alegria dessa gente em hostilizar mulheres, principalmente aquelas que não aceitam se calar?

Categorias
DestaquesDireitos HumanosFeminismoGeralJusticaMachismo e misoginiaManuela D'Ávillamulheresracismo
16 comentários:
  • Bárbara
    13 abril 2019 at 9:09
    Comente

    Sem palavras Lola! Eu TB festejo MT essaessa conden 👏👏👏👏👏👏👏👏

  • Rafael Oliveira (@RafaelO98153974)
    13 abril 2019 at 9:12
    Comente

    Pena que essa condenação nunca seja cumprida, que tipo de humor é esse? Um cara sem graça, que se aproveita de situações para poder se promover ,insultando pessoas e depois dizendo “foi uma piada” ,vivemos em uma idiocracia, exaltando idolos de barro que se moldam de acordo com a situação

  • JOSÉ FERREIRA DA SILVA
    13 abril 2019 at 10:05
    Comente

    Faz muitíssimo bem ao intelecto e acrescenta conhecimento, quando me deparo com matéria bem escrita, rica em conteúdo, como a que escreveu Lola Aronovich. Ainda que em tom festivo pelo desfecho que teve a condenação do rapaz, useiro e vezeiro em fazer chacotas ofensivas, principalmente, às minorías nas quais me incluo. A autora da matéria descreve com profundidade a trajetória “ofensiva” , do que se intitula humorista, até então desconhecida por mim, e que após a narrativa escrita muito bem articulada por Lola, dá ideia do quanto o rapaz ofendeu aos de cor negra extensivo a mim. Por seu escrito esclarecedor, repito, sou totalmente solidário ao festejo comemorativo, vez que, conforme a matéria, em algum momento, foram, também, as ofensas dirigidas à sua condição de mulher. Ainda, com referência à condenação, estimulado pela grei de pessoas simpatizantes ou corporativas, ao que parece o condenado faz “deboche” , e como bem diz Lola, essa condenação, ao menos, servirá de freio as investidas do “humorista”. Será ?

  • Ronaldo de Faria Castro
    13 abril 2019 at 10:40
    Comente

    Humorista sem graça!
    Fascistóide;
    Deveria ter sido encarcerado!
    Crápula racista!

  • Marcos Antonio Duarte
    13 abril 2019 at 10:55
    Comente

    Texto excelente
    , Muito bem escrito e esclarecedor.

  • Daniel Mendes
    13 abril 2019 at 11:00
    Comente

    Bom dia Lola, eu odeio esse site, mas leio porque quero manter o equilíbrio, odeio a maioria das reportagens que vocês fazem, mas leio pra manter minha mente equilibrada,, gosto de parte do humor do Danilo, parte, acho a outra parte muito ofensiva, mas quero dizer que essa sua matéria de hoje foi espetacular!! Concordei com cada palavra sua, essa é uma das poucas matérias desse site que eu concordo na íntegra, parabéns pela matéria! Em relação ao Gentili, eu mesmo sendo de extrema direita, deixo minha posição. Todos são iguais negros, homossexuais heterossexuais, bissexuais, intelectuais, normais vejo todos de forma igual, meus melhores amigos são angolanos pra você ter uma ideia! Então, Nem todos da extrema direita são racistas, fascistas, homofóbicos como vocês dizem!

  • José Wilton
    13 abril 2019 at 12:12
    Comente

    Infelizmente o humor inteligente e de qualidade se perdeu, a muito sarcasmo e preconceito camuflado em “forma de humor”, nosso povo precisa urgentemente acordo pra tudo que está acontecendo nesse momento de total escuridão ao patrimônio sócio-cultural do Brasil. Devemos tomar de volta nossas referências: Chico Anísio, jo, tv pirata, mazaropi, os trapalhões… Não podemos deixar que pessoas que não possuem pelo menos o velho e primordial Bom senso de suas atribuições sejam referência para essas geração já tão afogada nesse maremoto de desinformação.

  • Atila tadeu santos e moura
    13 abril 2019 at 13:17
    Comente

    Não sei… diante dos fatos, me parece que a condenação dele foi muito leve. Particularmente, não gosto do programa dele, nao tem gabarito, nem história, foi produzido . Além do mais esse formato de programa é muito chato. Gentili não é jô soares, Clodovil ou hebe Camargo . Gentili é lixo sem formação ou knowhow. Sem carisma sem história … só um filhinho fe papai quem ganhou um programa de TV para brincar!

  • Inácio da Silva
    13 abril 2019 at 13:19
    Comente

    Na sanha de reclamar desse comediante a única coisa que vão, efetivamente, conseguir é dar publicidade às besteiras que ele fala, aumentar a audiência dos programas dele e, por conseguinte, seu cachê na televisão…como dizia o finado Carlos Imperial, que vivia ofendendo os outros: “Falem mal, mas falem de mim”…ignorá-lo é o que mais prejuízo traria ao bolso dele…ai sim iria doer…essa condenação não fará nem cosquinhas nele…não irá preso e poderá ser reformada nas instâncias superiores…

  • Marcello Antunes da Silva
    13 abril 2019 at 14:28
    Comente

    Parabéns Lola. Ontem mesmo escrevi mensagem para a ombudsman da Folha pedindo que se faça uma comparação entre a liberdade de expressão desse cidadão, o Golden Shower e a exposição de um racista que xingou o STF. Questiono que, pessoalmente, posso chamar uma ministro do STF e dizer que eh piada, afinal de contas eu pago o salário dela? Tempos obscuros este

  • Mario
    13 abril 2019 at 14:57
    Comente

    Mas ñ será mais primário

  • Raul
    13 abril 2019 at 15:05
    Comente

    Só aguardando pra ver quando deixaremos de nós importar com as besteiras que outros falam, e dar importância ao racismo real como um pai de família ter seu veiculo alvejado 80 vezes por engano, infelizmente perdi meu tempo lendo essa “notícia”.

  • Cláudia Mendonça Magalhães Gomes Garcia
    13 abril 2019 at 15:57
    Comente

    Há muito ele não faz comédia. Comete crimes. Um moleque criminoso. Como moleques são as pessoas que o defendem.

  • Rosemblatt Ferreira Gomes Lima
    13 abril 2019 at 16:07
    Comente

    Parabéns a Jornalista pelo posicionamento lúcido e inteligente, já fui até fã desse imbecil, mas hoje até me envergonho disso, gente desse tipo tem que ser processado e condenado sim, essa foi a primeira condenação, mas muitas outras virão ainda, ele que se cuide, pois na próxima ele dever ser preso.

  • JOAO ALEX MARSIGLIA
    13 abril 2019 at 19:10
    Comente

    O Brasil tem tanta coisa para satirizar, pra que usar de baixarias das mais baixas para com minorias? Eu até gostava do Gentili nos tempos da Band mas agora que virou celebridade ele acha que pode tudo inclusive ter atitudes nojentas como a que teve contra a Maria do Rosário. Perdeu as estribeiras bem a razão.

  • Inácio da Silva
    14 abril 2019 at 20:52
    Comente

    É interessante ver que muitos dos que gritam que ninguém pode ser considerado culpado antes de esgotados os recursos em cortes superiores (caso do Lula) querem aqui considerar o comediante culpado após uma sentença em primeira instância…que, inclusive deverá ser reformada nas cortes superiores e ele não perderá a condição de réu primário…

  • Deixe uma resposta