Em Pernambuco, Centro de Formação Paulo Freire corre risco de sofrer reintegração de posse nos próximos dias

Centro de Formação Paulo Freire. Fotos: Matheus Alves

Fotos e texto: Matheus Alves

O Centro de Formação Paulo Freire (Caruaru-PE), localizado no Assentamento de Normandia do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, em 20 anos de história atendeu mais de 100 mil pessoas e delas formou aproximadamente 8 mil com as diversas parcerias de cursos com universidades públicas e a secretaria de educação do estado de Pernambuco.

Centro de Formação Paulo Freire. Foto: Matheus Alves

Neste mês, o INCRA decidiu pedir Reintegração de Posse e deu prazo para até o dia 19 de setembro, data de nascimento de Paulo Freire.

O simbolismo da afronta do governo de Bolsonaro, que já tentou destituir o título de Paulo Freire de patrono da educação, deixou explícito o desejo de desconstruir anos de luta e conquistas por decisões pífias motivadas pela sede de destruição.

No dia 16 de setembro, iniciou-se no centro mobilização que movimentou não apenas os Sem Terra do Pernambuco, mas sim milhares de pessoas do país e outras dezenas de entidades de todo o mundo, que lançaram notas de apoio.

Neste quinto dia, inicia aqui o curso “A ofensiva do governo Bolsonaro na atualidade da Reforma Agrária”, com intuito de formar as centenas de pessoas que acampam aqui em Normandia.

O MST já disse: com tentativas de reintegração ou não, a frase do momento é OCUPAR, RESISTIR e PRODUZIR!

Veja bela galeria de imagens. Fotos: Matheus Alves

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS