Da ponte pra lá ainda existe Justiça

Por Kátia Passos e Lucas Martins

A juíza Cynthia Torres Cristofaro, da 23ª Vara Criminal, concedeu liberdade provisória para os jovens Washington Almeida da Silva, Leandro Alencar de Lima e Silva e os irmãos Pedro e Fabrício nesta sexta-feira, 15.

Os quatro, presos desde dezembro do ano passado, podem ser liberados, até as 22:00h da noite de sábado, do CDP ll, em Osasco.

A juíza concedeu a liberdade, mesmo após o indeferimento do Habeas Corpus (HC) pelo TJ-SP, dado “o percalço decorrente da impossibilidade de comparecimento da vítima na audiência outrora designada” e por conta disso não “se afigurando adequado o prolongamento da prisão processual dos acusados, que já foram citados e ademais têm endereço fixo informado ao Juízo, concedo-lhes o benefício da liberdade provisória”.

Uma nova audiência foi marcada para o dia “30 de maio de 2019, às 14h30min.”, na qual ela pede que a vítima seja intimada.

Relembre o caso

Os quatro jovens foram presos no dia 10 de dezembro de 2018 acusados de sequestrar e roubar um motorista de Uber.

Após a prisão os familiares começaram a buscar provas paralelas à investigação policial para provar a inocência dos quatro.

Entre as provas estavam a falta dos objetos roubados, o caminho realizado por eles e uma testemunha que os colocava em outro lugar na hora do crime.

Atualização (23:04h): a administração do CDP ll comunicou para as famílias que possivelmente somente na segunda eles serão liberados.

Saiba mais

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

Julgamento no STF: a noção jurídica de prejuízo

Encerrado o julgamento sobre a incompetência da 13ª Vara Federal de Curitiba no Supremo Tribunal Federal (STF) na noite de quinta-feira (15), com a confirmação pelo plenário da decisão do ministro Edson Fachin que anulou as condenações do ex-presidente Lula no âmbito da operação Lava Jato, uma questão tão relevante quanto espantosa foi suscitada como argumento de fala, ou melhor, como fundamento de voto, por dois dos ministros que foram vencidos no resultado.

#Marielle 3 anos. As perguntas sem resposta

O Instituto Marielle Franco acabou de lançar um dossiê sobre o caso com a Linha do Tempo atualizada das investigações e da luta por justiça e 14 perguntas que ainda não foram respondidas! Vamos compartilhar para que mais pessoas saibam que a luta por justiça não terminou! Acesse: https://casomarielleeanderson.org

>