Coração de presidente

Vi o presidente brasilense abrindo seu coração para o presidente americano. Não sei se é amor, pois soa estranho o amor ser subterrâneo. Ter terríveis intenções não combina com amor. Segredos sombrios também se atraem e se beijam, dão crias, mas procedem do intestino, não do coração.

 

A que se abre o coração do presidente?  Serão ratos em afagos?

 

Fico pensando que coração de presidente é como uma banca na feira, aquela tenda em que se expõe tudo na via pública e aguarda a melhor oferta pelos bens que vende. Coração de feirante a conquistar clientes para quinquilharias e oportunidades, negócios únicos que brilham no céu da pátria nesse instante.

 

A pobreza do povo cresce e o presidente quer entrar para o clube dos ricos, vendendo o que é de todos, achando que é seu.

Vendem alianças de ouro os presidentes em suas barracas?

 

Quem sorri é Belo Sun Mining Corp. e suas primas, sedentas por nossas minas.

 

Ah, feirantes farsantes, um coração não vos pertence.

©Tiago Macambira

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS