Brasileira é vítima de xenofobia em Portugal

Por Jorge António, de Lisboa, especial para os Jornalistas Livres

 

A jornalista brasileira Bruna Luíza Karas, de 25 anos, foi vítima de um ataque xenofóbico enquanto viajava em um trem na região de Lisboa, em Portugal.

Segundo Bruna o homem estava sentado ao lado do grupo de amigas que a acompanhava, e ao notar o sotaque brasileiro iniciou deliberadamente uma série de ofensas direcionadas a ela e às demais amigas. [Veja o vídeo abaixo]

“Eu percebi logo de cara que era pra gente. Fiquei totalmente em choque e sem reação. E também com muita vergonha. Quando ele falou a primeira vez “brasileiros de merda”, fiquei com muita raiva, mas não tive coragem de falar nada. E aí passei a gravar, porque ele não parava de falar”, relatou Bruna aos Jornalistas Livres.

Há cerca de um ano e sete meses morando em Portugal a jornalista revela nunca ter vivenciado uma situação semelhante, ainda que admita já ter sentido discriminações “mais leves” em outras oportunidades.

Bruna ainda contou que teve medo de se tornarem físicas as agressões verbais.

“O comboio (como é chamado o trem, em Portugal) estava cheio, as pessoas olharam mas ninguém falou nada.” – completou.

Caso aconteceu no último sábado (4) em um trem na região de Lisboa. A vítima registrou o ataque com a câmera do seu celular.

Viver em um país estrangeiro é o sonho ou a luz no fim do túnel de muitos brasileiros. Portugal nos últimos anos ganhou o protagonismo entre os destinos cobiçados por pessoas que saem de seus países em busca de uma vida melhor no exterior. A tranquilidade de morar no terceiro país mais seguro do mundo – segundo o Global Peace Index (GPI) – e a facilidade de comunicar-se na mesma língua são algumas das características que fazem dos brasileiros os integrantes da maior comunidade de imigrantes no “país irmão”, como apontam os dados do SEF (Serviço de Estrangeiros e Fronteiras de Portugal), que registram mais de 150 mil brasileiros vivendo atualmente no País.

Entretanto, de irmão Portugal lembra pouco, especialmente para muitos imigrantes, como a Bruna e as suas amigas que enquanto são agredidas ouvem aumentar o tom dos discursos de ódio e intolerância, acobertados pela inação do Estado português. Quem vive em Portugal sabe que a brasileira não foi a primeira e não será a última imigrante vítima de xenofobia.

“Em Portugal, nestes tempos de crise sanitária e econômica, temos observado o aumento da xenofobia, do preconceito, da discriminação e do discurso de ódio contra as pessoas imigrantes através de diversos meios, que variam desde o discurso de partidos de extrema direita até as redes sociais. Estas, particularmente, têm nos mostrado que a forma como a xenofobia é praticada também se reinventou, pois cada vez mais existem páginas nas redes sociais, perfis falsos e comentários online com discurso de ódio e anti-imigração. Esse novo local para praticar a xenofobia nos revela duas coisas, pelo menos: a primeira é que a xenofobia social, ou seja, aquela praticada pelas pessoas no dia a dia, ainda é um grande desafio; a segunda é que não bastam haver bons índices de integração baseados na política de Estado se na sociedade portuguesa continuam presentes comportamentos xenófobos e discriminatórios contra as pessoas imigrantes.” – Diz um trecho do artigo Novos e velhos tempo de xenofobia — Por onde anda Portugal?“, publicado por Cyntia de Paula, Psicóloga e Ana Paula Costa, Cientista Social no blog “Ella — Encuentro Latinoamericano de Feminismos”.

 

Em 27 de junho ocorreu em Lisboa uma manifestação organizada por um deputado da extrema-direita portuguesa. Entre os discursos populistas – a la Bolsonaro – a “preocupação” (ainda que com gestos de saudação ao nazismo) era afirmar que “Portugal não é racista”. O ato foi co-organizado por um outro conhecido neo-nazista português, o qual carrega uma suástica na pele, enquanto nos ombros, condenações por tráfico de drogas e homicídio de um imigrante negro. A manifestação teve a adesão de menos de 600 pessoas – muito para um país que se diz pacato e acolhedor – e foi acompanhada com passividade e tolerância pelas autoridades de segurança e pelo governo português.

Enquanto Portugal não reconhecer com maturidade, coragem e consciência as próprias fragilidades, o racismo, a violência contra a mulher, a xenofobia e o descaso com o crescimento de todos estes males, Brunas, Cláudias, Alcindos, Giovanis e outras novas vítimas que surgem diariamente não vão parar de nos lembrar que “há, sim, racismo na casa portuguesa, com certeza!”.

 

COMENTÁRIOS

  • Triste demais esse relato, ainda mais sabendo que xenofobia é (ou deveria ser) crime lá.
    Força para a vítima, espero que consiga superar mais esse desafio.

  • Ele falou isso por estar usando mascara e óculos escuro,e eram mulheres as vitimas,se fosse homens ficava quieto o covardão,isso para mim é inveja eu não nunca vi tanto portuga se importar tanto com o que acontece não o Brasil,não passa de um infeliz!!!

  • Portugal não é racista recebe pessoas de toda parte do mundo. Racistas são as pessoas.

  • É triste mas sobretudo inaceitável que as autoridades portuguesas fechem os olhos ou façam vista grossa ao crescente racismo, ao ódio e à intolerância contra brasileiros e outros imigrantes em Portugal. Os portugueses eles próprios imigrantes que vão tentar vida melhor em outros países, deveriam se portar de maneira mais acolhedora e menos xenófoba, pois sabem ou sentem na própria pele a dificuldade de ter de viver em outras terras.

  • Uma vergonha para as famílias portuguesas que sempre foram,recebidas com muito respeito e amor pelos brasileiros. Este cidadão que referiu-se ao Brasil como “merda”, com toda certeza deve ser algum descendente dos degredados como ladroes,bandidos e desclassificados da pior espécie que Portugal mandou no início da colonização brasileira. Sou neto de portugueses e tenho certeza que estariam hoje envergonhados de sua pátria natal. Que Deus perdoe a ignorância.

    • O engraçado é vc falar de preconceito e rotular A LA BOLSONARO, então só vale quando e contra vc, se pensar diferente pode ser classificado dessa forma como vc classificou o nosso Presidente. Reveja seus conceitos.

      • Ele não rotulou nosso presidente, apenas relatou o fato de como os discursos do nosso presidente são da mesma forma, populista, racista, negacionista, machista e tantas outras coisas que se revelam, não pelo o que outras pessoas falem mas pelo que o nosso próprio presidente fala, posta, grita, xinga e faz sempre questão de reafirmar.

    • Uma vergonha mesmo. Estou em pt a um ano e vejo cada coisa, cada ato que da raiva. Para alugar uma casa e difícil pois quando percebem nosso sotaque já mudam a cara. Isso e bom pra brasileiro aprender a não ficar babando ovo de gringo quando vai ai

    • O que escreve é mentira! Eu estive aí no Brasil e fui mal recebida. A mim e aos meus irmãos chamavam-nos de burros. A diferença é que aí no Brasil o português não reclama e nem pode leva com uma bala no meio da testa e os brasileiros só vêm para a Europa para se vitimizarem e reclamarem de tudo. Xenofobia também passei eu aí e nem abri a boca. Parem com essa conversa! Tratem da xenofobia no vosso país para depois falarem do país dos outros. Eu estive aí, sofri xenofobia, não reclamei e vim para o meu país. Façam o mesmo então.

      • Você disse que não reclamou, mas agora está reclamando, e com certeza não aplaudo esse tipo de comportamento que fizeram com vocês.Todo país tem o lado positivo e negativo isso é normal uns mais que os outros, enquanto não entendermos que somos todos iguais, vai ficar essa “guerrinha” de qual país é melhor, volte para seu país, etc.Desde que imigrantes venham para o Brasil ou para qualquer país do mundo pague seus impostos que mal tem? Eu acho desnecessário certas atitudes, temos que ignorar pessoas como essas, mas não achar esse tipo de comentário normal.

  • Ele nao é português. È um imigrante qq de um paìs nórdico.Observe a pronuncia.
    Quem devia ter vergonha é quem vem aqui fazer falsas acusaçoes.

    Quem está mal, mude-se. Ninguém gosta de brasileiros na Europa, Portugal não tem culpa disso.

  • Século xxI, como pode um Português falar em país miserável, de merda, quando Portugal é considerado fundo de quintal da Europa? Não reconhecer que os brasileiros que pedem arrego tem qualificação, com raras exceção, e competem nas profissões com as mesmas qualificações. Sei que dentistas brasileiros são disputados, a ponto de terem visto sem renovação por causa da concorrência. Sinto, que há brasileiros que não reconhecem o valor da nossa Pátria Amada BRASIL. Alguém conhece algum português que não enriqueceu no Brasil? Eu não.

      • Só sabe falar isso? Se enxerga você igual a todo mundo mania idiota do ser humano de querer rebaixar as pessoas por sua cultura, cor da pele ou nacionalidade, desde que pague as contas corretamente qual é o problema está em outro país ao qual escolheu para viver?Todo mundo é igual, vê se cresce, povinho besta viu.

      • Beijinhos para você Catia, não devemos digo toda gente, de la e de cá, rotular a todos pois não importa a nação que seja, sempre haverá pessoas boas e outras nem tanto, já morei em Portugal em vários sitios, e sempre fui bem recebido, tenho bons amigos portugueses, como também de inúmeras outras nacionalidades. Portanto a vida segue, e devemos saber lidar com as situações da melhor forma, pois a vida é um trem bala.

  • Por causa de uns pagam os outros. Gato escaldado tem medo de agua fria. Uma grande maioria de brasileiras sao desrespeitosas para com familias. Para elas vale tudo para conseguirem um casamento. Sao capazes das maiores atrocidades para o conseguirem e por consequencia as outras brasileiras que respeitam pagam . E pena pois por causa de umas pagam as outras e nem todo o brasileiro e igual. Mas infelizmente quem ve caras nao ve coracoes e torna se dificil distinguir as mas pessoas das boas.

  • POSTS RELACIONADOS

    >