Lideranças sindicais árabes, do Peru e da Colômbia manifestam apoio à Greve Geral do dia 28/4 no Brasil

Grupo de trabalhadores do Sindicato dos Trabalhadores da Faber Castell Peruana

Dirigentes e trabalhadores da indústria da construção e da madeira estão manifestando sua solidariedade à luta dos trabalhadores brasileiros na greve geral do próximo dia 28 de abril.

Por iniciativa do sindicato global ICM – Internacional de Trabalhadores da Construção e da Madeira – todos sindicalistas que participarão de atividades esta semana serão convidados a manifestar o apoio à Greve Geral no Brasil.

Também estão sendo articuladas ações de solidariedade e apoio, inclusive com paralisações, nas principais cidades da América Latina e Caribe aonde a ICM está inserida, como Buenos Aires, Cidade do Panamá e Montevidéu, no próprio dia da Greve (28).

“Nesse dia, os sindicatos da ICM estarão entregando cartas de protesto nas Embaixadas do Brasil em vários países, em conjunto com os sindicatos afiliados à Internacional de Serviços Públicos (ISP) e IndustriALL Global Union, outras federações sindicais internacionais mobilizadas em apoio aos trabalhadores brasileiros”, informa o representante da ICM para América Latina e Caribe, Nilton Freitas.

 

O que é a ICM

A ICM (Internacional de Trabalhadores da Construção e da Madeira) é uma federação sindical global que agrupa sindicatos livres e democráticos, membros dos setores de construção, materiais de construção, de madeira, silvicultura e setores conexos.

A ICM tem 350 sindicatos afiliados que representam cerca de 12 milhões de trabalhadores em 134 países. A sede fica em Genebra, na Suíça. Tem escritórios regionais e escritórios de projetos no Panamá e na Malásia, África do Sul, Índia, Burkina Faso, Bósnia Herzegovina, Bulgária, Chile, Quênia, Coréia do Sul, Tailândia, Rússia, Peru, Venezuela e Brasil.

Sua missão consiste em promover o desenvolvimento de sindicatos nas indústrias da construção e da madeira em todo o mundo, promover e reforçar os direitos dos trabalhadores no contexto do desenvolvimento sustentável.

Gumercinda Angeles, líder do Sindicato de Trabalhadores da Faber Castell Peruana, segura a mensagem de apoio aos trabalhadores brasileiros durante um Seminário que está sendo organizado no Peru pela FNV (uma organização na Holanda).
Grupo de trabalhadores do Sindicato dos Trabalhadores da Faber Castell Peruana
Participantes da Rede de Mulheres Árabes da ICM apoiando a Greve Geral no Brasil
Dirigentes de FETRIMAP (Federação da Indústria Manufatureira do Peru) na sede da Organização Internacional dos Trabalhadores (OIT) no Peru, com cartazes de apoio à Greve Geral de 28/04
Dirigentes dos sindicatos SINTRAGYPLAC, SINTRAPIZANO, SINTRAINDUMACOIN, SINTRAGYPLAC, FETRAMECOL, SINTRA-SKINCO COLOMBIT, ACTEG, SINTRAKNAUF, SINTRACONSTRUVIAS e SINTRAMATER, todos relacionados à representação de trabalhadores na indústria da construção da Colômbia, entidades afiliadas e parceiras da ICM.
Dirigentes dos sindicatos SINTRAGYPLAC, SINTRAPIZANO, SINTRAINDUMACOIN, SINTRAGYPLAC, FETRAMECOL, SINTRA-SKINCO COLOMBIT, ACTEG, SINTRAKNAUF, SINTRACONSTRUVIAS e SINTRAMATER, todos relacionados à representação de trabalhadores na indústria da construção da Colômbia, entidades afiliadas e parceiras da ICM.
Dirigentes dos sindicatos SINTRAGYPLAC, SINTRAPIZANO, SINTRAINDUMACOIN, SINTRAGYPLAC, FETRAMECOL, SINTRA-SKINCO COLOMBIT, ACTEG, SINTRAKNAUF, SINTRACONSTRUVIAS e SINTRAMATER, todos relacionados à representação de trabalhadores na indústria da construção da Colômbia, entidades afiliadas e parceiras da ICM.

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

Mato Grosso se levanta pela Educação!

A produção e difusão industrial de fakenews (como o tal de kit gay) que elegeram Bolsonaro já está invadindo novamente as redes sociais, em especial

O TAMANHO DO GOLPE

Por Leandro Pedrosa, especial para os Jornalistas Livres Inconformados com a farsa indecente do tribunal de Porto Alegre, representantes da oposição têm pregado a desobediência civil