Ao Vivo JL entrevista Miguel Nicolelis

O neurocientista Miguel Nicolelis, em conjunto ex-Ministro da Ciência e Tecnologia Sérgio Rezende, está, de forma voluntária, coordenando uma comissão científica para ajudar o Consórcio Nordeste a enfrentar o coronavírus. O convite foi feito no último dia 31 pelo coordenador do Consórcio, o governador Rui Costa (PT-BA), “É uma satisfação saber que ainda existem governadores e grupos de políticos estaduais que põe a ciência em seu devido lugar, em meio a uma emergência dessas” contou o cientista, de forma exclusiva para os Jornalistas Livres ao aceitar o chamado, no mesmo dia.

O Consórcio é uma iniciativa dos noves Estados que compõem a região do país, formado após a eleição de Jair Bolsonaro para elaborar projetos de cooperação interestadual entre os entes da região, que foi várias vezes atacada por ser identificada como um reduto petista pelo presidente. O consórcio já buscou estabelecer parcerias internacionais sem a participação do governo federal e durante a crise do coronavírus tem buscado trabalhar com outros países, como foi com o pedido de insumos feito para a China.

Nicolelis, que é tido no meio acadêmico como um dos maiores nomes da ciência nacional tendo sido o primeiro brasileiro a ter um artigo publicado na capa da revista Science, é médico formado pela USP e professor titular da universidade de Duke (EUA), Já Sérgio Rezende que é físico e engenheiro, doutor em engenharia pelo MIT (EUA), e foi ministro de no segundo mandato do ex presidente Lula.

O comitê

O principal objetivo do comitê é o assessoramento científico e tecnológico para os estados do Nordeste. Composto por médicos, virologistas, sanitaristas, engenheiros, físicos, cientistas da computação, matemáticos e diversos outros especialista, vai elaborar políticas públicas de atuação para “mitigar ou reduzir efeitos da pandemia” como definiu Nicolelis. Para ele o grupo é “um estado maior de Guerra”, mas que não vai ficar contido à região “vamos compartilhar tudo isso com estados e municípios que queiram participar ou só ter acesso a o que vamos começar a produzir, nisso que é um comitê científico de guerra.”

Com uma sala de situação centralizando o comitê em salvador, mas distribuído remotamente pelos estados é composto por nove Subcomitês Temáticos: Sala de situação.

  • Protocolos médicos
  • Equipamentos
  • Interação entre indústria, startups e laboratórios, e unidades de pesquisa locais
  • Fomento
  • Contatos nacionais e internacionais
  • Virologia, vacinas e diagnóstico laboratorial
  • Políticas públicas de intervenção
  • Epidemiologia, modelos matemáticos e medidas de enfrentamento

 

Ele ainda contou como foi o convite e a relação com os governadores “O que eu senti foi um abertura total de nos ouvir. Minha sensação é que tudo na vida é política. As pessoas se enganam quando acham que a política é só para os profissionais” por isso estou com “a expectativa de ser ouvido. Poder ser um porta voz do que a ciência pode oferecer”

Nicolelis vê o comitê como um legado para o Brasil pós corona “me emocionei profundamente em ver a qualidade do trabalho intelectual, científico, médico. A dedicação das pessoa em Pernambuco, Sergipe, Fortaleza. Foi uma coisa muito emocionante ver que ainda temos sim, esse espírito solidário e este espírito de humanidade que é generoso para abrir seu tempo, sua experiência e esquecer dos papers, patentes, todas essa essa bugiganga que criamos na área de ciência”.

Veja a entrevista aqui

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS