Nicolelis e um mundo que precisa de ajuda para o combate às fake news

Miguel Nicolelis coordena o Comitê Científico do Consórcio do Nordeste

A ciência nunca foi tão importante quanto agora, frase de Miguel Nicolelis, neurocientista brasileiro. “Foi preciso uma guerra declarada a um inimigo invisível para entendermos a importância da busca por informações de alto nível sobre o assunto.

Em vídeo, o neurocientista Miguel Nicolelis nos conta tudo. Trata-se de um arquivo gravado na madrugada desta sexta (10/4) para sábado (11/4) para que possamos ter o privilégio de entender as relações literalmente históricas de Gengis Kahn com Alexandre, O Grande e quais as conexões que esses personagens fazem com o 2020 da pandemia de COVID-19 no mundo.

Assista:

 

 

https://www.comitecientifico-ne.com.br/in%C3%ADcio

As informações disponibilizadas no site do Comitê Científico do Consórcio do Nordeste são baseadas em artigos científicos. Você pode enviar sua pergunta e ela será respondida e adicionada nas perguntas frequentes para ajudar a esclarecer as dúvidas de outras pessoas.

Siga também a recomendação número 1 do Comitê:

Distanciamento social

As determinações de distanciamento social e medidas restritivas correlatas são, no momento, as medidas mais eficientes de combate à pandemia.

Assim sendo, o Comitê Científico do Consórcio do Nordeste ratifica nos mais fortes termos e sem hesitação que, baseados em todas evidências disponíveis no Brasil e em todo mundo, não há justificativa alguma para qualquer tipo de relaxamento no distanciamento social. Reafirma, portanto, que qualquer flexibilização agora vai gerar tragédia humana sem precedentes no país.

Como resultado da medida, o isolamento social reduziu a velocidade de contaminação por coronavírus em Fortaleza e no Estado do Ceará. Estudo realizado pelo Grupo de Sistemas Complexos, do Departamento de Física, da Universidade Federal do Ceará (UFC), com apoio da Secretaria de Saúde do Estado (SESA-CE) e da Vigilância Epidemiológica da Prefeitura de Fortaleza, concluiu que em 24 de março Fortaleza registrava 542, e o estado do Ceará, na mesma data, 607. Sem o isolamento determinado pelo governo estadual o número seria 1.194 para a capital e 1.349 para o estado.

Fonte: Comitê Científico do Consórcio do Nordeste 

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS