Um forte grito de não ao PL 4330

Katia Passos, especial para #Jornalistas Livres. Fotos: Wesley Passos

Em ato simbólico, mais de 15 mil trabalhadores e trabalhadoras cruzaram os braços, na manhã desta quarta (14), em montadoras do ABC

Um grito de apelo pelo engavetamento do Projeto de Lei 4330 foi o som que se ouviu nas paralisações em frente as montadoras Volkswagen, Scania e Ford, em São Bernardo do Campo.

A composição do atual Congresso Nacional é retrógrada e dominada pelos interesses dos empresårios, por isso, aprovou na noite do dia 8 de abril, por 324 a 137 votos, o Projeto de Lei 4330 que retira direitos e precariza as condição trabalhistas.

De lá para cá, movimentos sociais e sindicais declaram que a carteira de trabalho será literalmente rasgada e queimada, caso o PL seja aprovado. Verdadeira violação dos direitos trabalhistas.

No ato de hoje, a indignação e a revolta eram evidentes nos rostos dos trabalhadores que cruzaram seus braços em protesto. Para eles, o futuro incerto e sombrio. A situação é muito grave.
É um verdadeiro retrocesso na história das conquistas da classe trabalhadora.

Na próxima semana, o projeto será submetido a emendas na Câmara dos Deputados e, posteriormente, encaminhado para o Senado. Em todo esse processo, a CUT e muitos outros movimentos sociais e sindicais intensificarão a luta e a pressão no Congresso e os atos nas ruas não vão parar.

Categorias
Geral
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta