Todo rio tem índio

.

Eram Krenak, agora são Pataxó HãHãHãe.

Todo rio tem índio.

Tem peixe, borboleta, ribeirinho e beija flor.

Então fico pensando, 

no beco, na fonte, na forca.

Anzol, tímido, professo, persisto.

Nego e renego.

Destino comum de peixe, índio, borboleta, beija flor, ribeirinho.

Reserva indígena Naô Xohâ, Pataxó HãHãHãe lamenta a situação do rio Paraopeba após o rompimento da Barragem da Vale em Brumadinho. A aldeia está a exatos 26km jusante de onde houve o rompimento, houve notícias de que a aldeia tinha sido removida, mas eles estão no mesmo local e lutando por suas terras e por tudo a sua volta. O Rio está com cheiro de podridão e já temos muitos peixes chegando à margem pedindo socorro.

*imagens por Lucas Hallel©

Categorias
crônica
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta