Prefeito de São Bernardo persegue Sindicato dos Servidores Públicos

Orlando Morando e Bolsonaro unidos na perseguição de sindicatos e movimentos sociais

O clima não anda muito democrático pros lados do Paço Municipal de São Bernardo do Campo. A prefeitura tucana de Orlando Morando oficializou ao Sindicato dos Servidores Públicos de São Bernardo do Campo (SindServ) que não fará mais o desconto da contribuição sindical em folha de pagamento. 

A decisão do paço, além de um duro golpe a organização dos trabalhadores municipais, representa também um alinhamento com a politica do presidente Bolsonaro para a perseguição de sindicatos e movimentos sociais. 


A justificativa da atual administração municipal é a Medida Provisória 873/19 assinada por Jair Bolsonaro em 1° de Março do ano corrente. A MP 873/19 institui a não obrigatoriedade da contribuição sindical, ficando a critério do trabalhador a decisão. Contudo vale salientar que na faixa de prefeituras municipais, poucas aderiram de forma tão venal a Medida Provisória.

”A prefeitura de São Bernardo tem sido uma das poucas no Estado de São Paulo a tomar essa medida de maneira tão radical. Tem sido uma constante a postura de não dialogo por parte da atual administração municipal com a entidade que representa o servidor municipal”  declarou Célio Vieira que é diretor de assuntos jurídicos do SindServ.  

Categorias
DestaquesDireitos Sociais
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta