No diário do Bolso: cartinha pra Carluxo e Mourão

Por José Roberto Torero * Poxa, Diário, que brigalhada! O Carluxo, o Mourão e o Olavo estão se esganando. Meu governo está parecendo churrasco de domingo em família depois que...

Por José Roberto Torero *

Poxa, Diário, que brigalhada! O Carluxo, o Mourão e o Olavo estão se esganando. Meu governo está parecendo churrasco de domingo em família depois que o pessoal bebe.
Acho que o certo era eu escrever três bilhetes para eles.

Para o Mourão ia ser assim:

“Pô, Mourão, você fica pousando de tranquilão, de filho de índio, de ponderado, mas eu
tô de olho. Você é general da reserva, mas quer ser titular, não é? Só que pode ir tirando
o camelo da chuva. Eu saquei o seu plano: se a Previdência não passar, você vai dizer:
“comigo tinha passado”. E aí os caras dos bancos vão querer tirar você do banco de
reserva. Mas nem pense em dar uma de Temer comigo! Eu e os garotos estamos atentos,
talkei?”

Para o Carluxo, eu ia falar assim:

“Carluxo, você é sangue do meu sangue, carne da minha carne, caspa da minha caspa. É
o meu preferido. Quem que eu deixei andar no calhambeque no dia da posse? Foi o
Dudu? Foi o Flavinho? Não, foi você. Mas tem que dar uma maneirada por uns dias.
Depois, tudo bem. Pode voltar a meter o pau. Porque a gente tem que ter inimigo, que
sem inimigo a gente não chega a lugar nenhum. E, já que o PT está mais encolhido que
pinto em piscina gelada, a gente tem que atacar outra coisa. E essa coisa é o Mourão.”

Para o Olavo, eu ia escrever no estilo dele, para ver se o cara me entende:

“Porra, Eulavo Caralho, não põe no meu, cacete! Cada dia que você xinga os militares,
eles veem no meu ouvido dizer que você é um astrólogo picareta, que é um bebum, que
só sabe falar em c*, que não fez nem o primeiro grau, que não passa num psicotécnico e
que só quer aparecer para ganhar o dinheiro dos trouxas que fazem aquele seu curso. Pô,
vê se aponta o seu rifle pro outro lado. Fala em marquicismo cultural, em ameaça
comunista, em Lula, aquelas coisas. Se ficar dizendo que militar é corrupto, a coisa vai
feder. Dá uma segurada aí. Não xinga todos os militares, só o Mourão, pô!

Olha, quer saber, Diário? Não vou mandar bilhete porcaria nenhuma. Quero que eles se
lixem. Os três podem se matar, que pelo menos assim ninguém fala do Queiroz, da
Previdência, da Wal do Açaí, do Morelli e do escambau!

*José Roberto Torero é autor de livros, como “O Chalaça”, vencedor do Prêmio Jabuti de 1995. Além disso, escreveu roteiros para cinema e tevê, como em Retrato Falado para Rede Globo do Brasil. Também foi colunista de Esportes da Folha de S. Paulo entre 1998 e 2012.

Categorias
crônica
AfrikaansArabicChinese (Simplified)EnglishFrenchGermanItalianJapaneseKoreanPortugueseRussianSpanish

Relacionado com