MST realiza ato solidário em ocupação urbana em Londrina, Paraná

Entre frutas, legumes, verduras e laticínios, mais de 1,5 tonelada de alimentos foi doada à comunidade

Por Gabriel Melhado e Gabriel Pansardi Ruiz, direto do Paraná

Mandioca, batata doce, banana, limão, chuchu, cebolinha, abobrinha, milho, leite, iogurte. A fartura de alimentos fruto do trabalho incansável do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) deixou o campo rumo a cidade com um objetivo especial neste último domingo (14): alimentar as famílias da ocupação Flores do Campo, situada na extrema zona norte de Londrina/PR. Entre frutas, legumes, verduras e laticínios, mais de 1,5 tonelada de alimentos foi doada à comunidade.

A iniciativa integra uma série de ações solidárias protagonizadas pelo MST neste mês, em comemoração ao Dia Internacional da Luta Camponesa, 17 de abril. “Vir aqui hoje trazer o nosso alimento pra essas pessoas que também tão na luta pela sua moradia e por sua dignidade é uma alegria muito grande, relembra nossa luta”, aponta Baiana, integrante do MST.

Além da doação, teve porco no tacho, mandioca e salada, tudo preparado lá mesmo, na ocupação. Para acompanhar a refeição, música e muito samba ao vivo.

A ação, no entanto, não foi mero apoio isolado. Articulado em colaboração com o Movimento de Trabalhadoras e Trabalhadores por Direitos (MTD), concretizou-se como um momento de aproximação entre os dois movimentos e a comunidade do Flores. “O MST veio para nos dar força (…), e aqui presente nos faz perceber e relembrar que o Flores do Campo precisa cada vez mais se organizar e se unir”, comenta Vânia, moradora da ocupação.

Flores do Campo
A ocupação Flores do Campo existe desde outubro de 2016. No local estavam sendo construídas unidades habitacionais por meio do Programa Minha Casa, Minha Vida, mas o empreendimento foi abandonado pela construtora responsável no início daquele ano. Hoje mais de 130 famílias residem e resistem ali.

Categorias
DestaquesDireitos HumanosGeral
Um comentário
  • maria angela
    19 abril 2019 at 10:13
    Comente

    A solidariedade sempre foi a BANDEIRA DO MST. SEMEIAM VIDA -RESISTÊNCIA -LUTA.

  • Deixe uma resposta