Matheus Chaparini não vai dormir em casa

Foto: Jornal Já - Porto Alegre

Enquanto cobria a ocupação da Secretaria da Fazenda, o repórter Matheus Chaparini foi preso pela Brigada Militar (BM) de Porto Alegre. Na manhã desta quarta-feira, 15 de junho, o jornalista saiu de casa para mais um dia de trabalho pelo Jornal JÁ, da capital gaúcha. Pelo excesso de autoritarismo de uma corporação que não tem medido esforços para oprimir e reprimir, Matheus não vai dormir em casa hoje.

Matheus vai dormir no pior presídio do país, o Presídio Central de Porto Alegre, ao lado de tantas outras vítimas de um Estado que usa sua polícia para lotar presídios com pessoas inocentes ou não. Ainda aqueles que são culpados de algum crime, não merecem essa polícia e essa política de encarceramento.

Hoje uma das vítimas da polícia que está cada vez mais perdida e perversa nas ruas do país foi Matheus. Um cidadão, por acaso jornalista, que estava onde os militares não queriam. Além disso, estava trabalhando na tentativa de mostrar como agem os soldados do governador. Para eles, ao que tudo indica, exercer o jornalismo livremente é crime.

 

poa1506

Matheus é vítima de uma polícia truculenta que age todos os dias nas favelas, periferias e contra movimentos sociais, pobres, negros e todos aqueles que estão à mercê do Estado. Quantos Matheus dormirão em presídios hoje? Ao lado de Matheus, mais 10 estudantes maiores de idade que estavam na ocupação foram encaminhados a presídios.

O repórter deve sair amanhã, após uma Audiência Custódia. Ele sairá do presídio com acusações de crimes que, até aqui, nem sabia que se encaixariam na função de repórter que ocupa no Jornal JÁ. Acusado de corrupção de menores, organização criminosa, esbulho possessório, resistência à prisão, desacato de autoridade e dano qualificado ao patrimônio público, Matheus é mais uma vítima da polícia militar do Rio Grande do Sul, mas também poderia ser de São Paulo, Rio de Janeiro, Ceará, Brasília, entre outras.

Como Jornalistas Livres, defendemos o livre exercício da profissão e repudiamos a prisão de Matheus Chaparini. Não podemos aceitar tranquilos o fato de um colega ser preso arbitrariamente. Estamos em defesa de sua liberdade.

COMENTÁRIOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

POSTS RELACIONADOS