Licitação suspeita no ministério da saúde e pequenos negócios não são beneficiados por Bolsonaro

A coluna de hoje analisa matéria do The Intercept Brasil que mostra comprar sem dispensa de licitação e com suspeita de superfaturamento para compra de máscaras para combater o coronavírus. a empresa farma suply que tem como dono  um bolsonarista, que inclusive ajuda a formação do novo partido do des-presidente.a empresa tem duas contratações suspeitas que somam mais de R$ 18 milhões.

Veja mais por aqui:

CORONAVÍRUS: Mandetta paga mais caro em máscaras de empresa bolsonarista

Os pequenos e médios empresários poderão não ser beneficiados no pacote de empréstimos, visto que devem ser beneficiadas as maiores empresas. O percentual do crédito concedido as grandes empresas pulou de 39,2% (2014) para 54,2% (2019). Já para as micro empresas caiu de 10,7% para 4,8%, para as pequenas empresas de 16,5% para 13%.

Credito corporativo por tamanho da empresa 2014 2019
Micro 10,70% 4,80%
Pequena 16,50% 13%
Média 33,60% 28%
Grande 39,20% 54%

 

Com o governo Bolsonaro, compara com a gestão Dilma (2014) é perceptível que os bancos públicos focaram  no atendimentos as grandes empresas e reduziram muito o financiamento para micro e pequenas empresas.Aqui fica claro a opção pelos grandes em detrimento dos pequenos e que a função social de banco público foi desvirtuada somente para gerar lucros para os acionistas.

Banco do Brasil- crédito concedido 2014 2019
Micro-empresa 4,20% 1%
Pequena empresa 17,60% 10%
Média empresa 31,20% 20%
Grande empresa 47% 69%
Caixa Econômica federal- crédito concedido 2014 2019
Micro-empresa 21,50% 7%
Pequena empresa 20% 11,50%
Média empresa 26% 18,50%
Grande empresa 32,50% 63%

 

Bolsanoro afirmou que o coronavírus é uma gripezinha e  que demorou para agir, ainda quer continuar brigando com os governadores que tentam proteger sua população contra os perigos da pandemia.

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS