Estamos vivendo uma loucura social

Começamos perdendo nossos direitos, duramente conquistados, levaram de nós a CLT, a previdência social, a educação, os investimentos em pesquisa, em ciência, mais de 10 mil médicos, nos tiraram a saúde, a segurança, até a água no Rio de Janeiro tiraram.

Nos entregaram goela abaixo um presidente incapaz, que sempre pregou armas como solução, discriminação de todos os tipos, o prazer de cortar benefícios, mas apenas dos trabalhadores, os deles, jamais.

Um governo com diversos envolvimentos que deixam evidentes a presença de milicianos, um presidente ridicularizado no mundo inteiro, que não perde a oportunidade de ficar com a boca calada.

Estamos enclausurados há muito tempo. Hoje, da pior forma possível, está estampado em todos os rostos o medo de estar preso num emaranhado social e financeiro.

Sinto informar que estamos presos num mundo cruel, que acredita em meritocracia, que funciona assim: quem tem dinheiro vive bem, quem não tem, come o pão que o diabo amassou e ele que lute!

Mas, pelo destino e pela primeira vez, muitas pessoas estão sentindo o peso do ELE QUE LUTE!

Hoje, uma parte significativa da população entendeu que o dinheiro compra quase tudo, menos a vida! A vida digna para todos, ninguém merece viver preso num sistema capitalista.

O peso do amanhã financeiro está batendo à porta de muitos. Pela primeira vez, a palavra fome começa a passar na cabeça da classe média. A fome é foda. A morte é foda, tudo está batendo na porta.

Foto de Carolina Rubinato – Criança em situação de vulnerabilidade social, no centro de São Paulo

Espero que possamos renascer como seres humanos, que haja a morte desse sistema cruel que pode nos deixar de uma hora para outra sem teto, que possamos deixar morrer a normalização com que tratamos a falta de uma casa para grande parte da nossa população.

Acredito que agora dá para entender, vamos morrer, agora ou depois. Que a humanidade aprenda a compartilhar, isso aqui vai durar no máximo 80 anos, não existe nenhuma estabilidade em viver!

Em nosso rico país, passar fome não deveria existir. Estamos vendendo tudo, nossas empresas, a saúde, a educação, estamos vendendo a alma para ter cada vez mais, somos o consumo desenfreado.

 

Em tempos de corona, de incertezas plantadas, de isolamentos sociais, de medos, que possamos entender que o capitalismo é um sistema falido.

Todo mundo tem o direito e merece viver bem.

PS: Deixo claro que se Jesus estivesse vivo entre nós, o Bolsonaro faria arminha para ele.

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Jornalistas Livres

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

Recorde em SP: 48 mil pessoas vivem nas ruas

Um levantamento realizado por pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) mostra que 48.261 pessoas viviam nas ruas em São Paulo no ano de 2022, sendo o maior já registrado na capital paulista. No Brasil são quase 192 mil pessoas em situação de rua registradas no CadÚnico.