Lama com rejeitos de minério da Vale e BHP Billiton segue caminho do Rio São Francisco

A Agência Nacional de Águas emite nota de alerta para o caminho que a lama composta por rejeitos de minérios de ferro traçou. Os rejeitos já correm junto as águas do Rio Paraopeba que tem sua foz no Rio São Francisco

O crime humano e ambiental cometido pela Vale e BHP Billiton podem atingir grandes proporções nos próximos dias. De acordo com nota divulgada pela Agência Nacional de Águas – ANA, a lama juntamente com todos os materiais que arrastou é esperada na Usina Hidrelétrica de Retiro Baixo e deve chegar por lá entre terça e quarta-feira.

Esse será o primeiro ponto de contenção dos rejeitos e de todos os materiais arrastados pela onda composta por 12,7 milhões de metros cúbicos de lama. O percurso até a Usina Hidrelétrica de Retiro Baixo, são de 290 km de extensão. Estima-se que essa hidrelétrica será capaz de conter grande parte dos rejeitos, que continuaram a correr com as águas do Rio Paraopeba, em direção ao Rio São Francisco.

Funcionários SPE – Sociedade de Propósito Específico, responsável pela UHE Retiro Baixo, já interromperam a operação da usina, realizaram testes de vertedouro e fecharam as tomadas de água para tentar preservar os equipamentos.

O segundo ponto de contenção será a Represa Três Marias, a Agência Nacional de Águas – ANA, ainda não tem estimativa do tempo para o encontro da onda com a próxima represa, mas de acordo com Fabrício Coelho, diretor da Associação dos Bombeiros Voluntários de Três Marias, um alerta foi emitido pela Defesa Civil Estadual para que o monitoramento no local seja intensificado. O reservatório Três Marias fica no Rio São Francisco.

As comunidades ribeirinhas do Rio Paraopeba podem sofrer falta de energia elétrica e corte da distribuição de água durante os próximos dias.

Edição do Vídeo Joana Brasileiro

Categorias
águaimpunidadeMeio AmbienteTragédia
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta