Gastronomia é no Mercado do Povo

A resistência dos Mercados Municipais encanta todos os anos diversos turistas que procuram nos segredos do Cerrado Brasileiro uma outra forma de valorização da Gastronomia enquanto ciência do povo

Gastronomia uma relação necessária entre a arte da culinária e a ciência do preparo dos alimentos e não surgiu do apelo da mídia por uma melhor qualidade de vida.

Ela foi se formando ao longo da cultura alimentar de povos e comunidades tradicionais, na relação com a natureza e na curiosidade sábia do povo em vários cantos do mundo.

No sertão brasileiro, os Mercados Municipais que também são conhecidos como mercado do povo são o ponto de encontro desta cultura que mistura em um mesmo espaço as raízes, plantas medicinais, cheiros e diversos temperos além da música e dos alimentos frescos para o consumo.

E nos vem uma pergunta. Como ao longo do tempo resiste estes espaços meio ao apelos dos supermercados, shoppings, televendas e comidas rápidas, os fastfoods. É nesta resistência que Mercados Municipais como o de Itamarandiba recebe aos sábados além de pessoas de toda região da Serra Negra ou mesmo turistas interessados pelo famoso requeijão moreno e da farinha de mandioca moída na hora.

Não se faz comida sem história e não pode contar uma história sem colocar o povo e a natureza como protagonistas do sentimento que os faz ser vivos e vida em sua origem e tradição.

Fotos e Texto: Leonardo Koury, especial para os Jornalistas Livres.

Categorias
AgroecologiaComportamentoHistória do BrasilMinas Gerais
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta