Encontro de Boulos com Lideranças Comunitárias e Quilombolas no Abacatal, no Pará

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O candidato do PSOL à presidência da república, Guilherme Boulos, participou na tarde da sexta-feira (18), de um encontro com moradores da comunidade quilombola do Abacatal e de Marituba que foram diretamente impactados pelo Aterro Sanitário instalado no Município. Uma das chefes das 117 famílias quilombolas que vivem no Abacatal, Maria Santana (49 anos) ressaltou a importância de ter um candidato à presidência da república e líder do MTST visitando e reconhecendo a luta. Ela esteve na mesa junto aos pré-candidatos do PSOL do Pará, o deputado federal Edmílson Rodrigues, a vereadora Marinor Brito (candidata à deputada estadual), o vereador Fernando Carneiro (candidato ao governo do estado) e Ursula Vidal, candidata ao Senado.

Foto: Lorenna Montenegro / Jornalistas Livres

Para Raimundo Nonato Cardoso (64 anos) além de histórico o momento foi de diálogo sobre as problemáticas como a falta de uma consulta pública para a construção de uma ferrovia e instalação do linhão de energia de 5000 kW que prejudica os moradores do entorno. “Nós somos invisíveis para o poder público. Quando houve esse mapeamento para fazer a ferrovia o nosso território não apareceu, o governo não nos reconhece, não temos nem voz nem acessos aos serviços públicos”, assinalou.

“Precisamos de um novo modelo de desenvolvimento no país. Uma economia que sirva à sociedade, onde os Quilombolas e indígenas, participem da decisão, sejam consultados. Que possamos combater o agronegócio que toma essas terras ,de povos tradicionais e tenta coibir com o discurso enganoso quando 70% da comida que está nos pratos dos brasileiros é da agricultura familiar. Que casos como o da Hydro que cometeu mais um crime ambiental no município de Barcarena. Temos o compromisso de defender o povo”, resumiu Guilherme Boulos. Ao final do encontro, uma roda de Carimbó se formou na casa que abriga a Associação de Moradores, e os participantes puderam dançar e tocar marabaixo (espécie de tambor) do grupo Toró-Açu.

Foto: Lorenna Montenegro / Jornalistas Livres

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

>