Dois pesos e duas medidas no JN

Artigo de Ícaro Jatobá para os Jornalistas Livres

Aos colegas jornalistas trago um ótimo exercício de como não se portar na profissão.

Imagem reprodução do Jornal Nacional de março de 2016, mostrando conversa entre Lula e a então Presidenta Dilma Roussef, vazadas pelo então Juiz Sérgio Moro, em grampo ilegal.

No dia 16 de março de 2016 o Jornal Nacional abriu o jornal com as mensagens vazadas, da então presidente Dilma, pelo então juiz federal Sérgio Moro, que violou a Constituição Federal ao interceptar e divulgar uma ligação da Presidência da República. O jornal em nenhum momento contesta a legalidade da ação de Moro ou enfatiza, como fez ontem, que interceptação e vazamento sem autorização é crime. A matéria que durou mais de 09 minutos resultou em um teatro, onde William Bonner e Renata Vasconcelos declamaram longos minutos das conversas entre Lula e Dilma, Lula e Eduardo Paes entre outros. No dia seguinte, 17 de março de 2016, mais uma longa matéria, 14 minutos sobre as mensagens vazadas da então presidente e Lula.

Este slideshow necessita de JavaScript.

No jornal de ontem, o mesmo JN, os mesmos apresentadores, abriram o jornal com a manchete do The Intercept, que através de uma denúncia, divulgou conversas de Moro e procuradores da Lava-Jato. O jornal a todo momento marcou que a ação do hacker foi ilegal e deixou ser ditado pelo vídeo de defesa, divulgado pelo procurador Deltan Dallagnol. O jornal se quer teve a coragem de assumir o dever jornalístico em investigar e assumir a informação que passava e usou a expressão “o site Intercept, diz que na Constituição brasileira um juiz não pode aconselhar o ministério público, nem direcionar seu trabalho, deve apenas se manifestar nos autos dos processos, para resguardar a sua imparcialidade[…]” Ora, a Constituição do Intercept é diferente da Constituição que o JN segue? O jornal não tem autonomia para verificar isso? A matéria durou 4 minutos e outros 5 minutos foram destinados a defesa de Moro, defesa de Deltan, que inclusive foi a primeira pessoa não jornalista a ser um âncora do JN. Sim, podemos dizer que William, Renata e Deltan dividiram bancada em frases casadas, que se não tivessem sido tão ensaiadas não sairia perfeito, um verdadeiro ballet de aúdio e imagens.

Reprodução de imagens do Jornal Nacional de 10.06.2019, que exibiu um vídeo do Procurador se defendendo, das denuncias do The Intercept.

Reprodução de imagens do Jornal Nacional de 10.06.2019, com a reação de algumas instituições jurídicas.

A indagação aqui não é para o JN dizer que Lula é um preso político ou algo do tipo, é uma indagação sobre a atividade do jornalista e do jornalismo. Por que o pau que bate em Chico não é o mesmo pau que bate em Francisco? O jornalismo não é e nunca deve ser assessoria de imprensa e foi isso que vimos no Jornal Nacional de ontem.

Sabemos mais que nunca que a Globo é uma fiel defensora de Moro e Lava-Jato. Para o jornalista Gleen Greenwald, do The Intercept, não é diferente. Em sua conta no Twitter, na manhã desta terça-feira (11), o jornalista enfatizou a ligação entre a Rede Globo e o ministro da Justiça, Sergio Moro, ao comentar o caso que o Intercept trouxe a público.

“A Globo é sócia, agente e aliada de Moro e Lava Jato – seus porta-vozes – e não jornalistas que reportem sobre eles com alguma independência. É exatamente assim que Moro, Deltan e a força-tarefa veem a Globo. Então não esperem nada além de propaganda”.

Reprodução de imagens do Jornal Nacional de 10.06.2019, exibe o Procurador Deltan Dallagnol com um dos seus power points do caso triplex.

Categorias
ArtigoComunicaçãoDestaquesGolpejornalismoLava Jatovazajato
11 comentários:
  • Alailson Santos
    11 junho 2019 at 17:33
    Comente

    Sei, porém o que podemos falar sobre a culpa.

  • Dirceu João Pagani Neto
    11 junho 2019 at 19:15
    Comente

    Vc é louco, comunista, viva o Mito engole o choro!

  • Humberto VIEIRA
    11 junho 2019 at 20:07
    Comente

    É sem dúvida importante denunciar. Contudo, não esperemos nunca imparcialidade da Globo, pois, como é sabido, ela tem um lado e esse lado é sempre o lado dos poderosos e nunca o dos que defendem as necessidades sociais do povo brasileiro.

  • Luciano Da Silva Alves
    11 junho 2019 at 20:27
    Comente

    Mas essa babilônia vai cair. Eles estão provando do próprio veneno, hipócritas e falsos moralistas.

  • Roberto
    11 junho 2019 at 20:48
    Comente

    Não é de agora que está emissora manipula o povo, quando é de seu interesse, acoberta práticas ilegais, se houvesse um governo de verdade neste país, já teria cassado a concessão desta emissora, sempre exalta governos por interesse, as notas que solta para se defender, e pura mentira, dá nojo assistir esta emissora.

  • Socorro Araújo
    11 junho 2019 at 21:06
    Comente

    Muito triste ver tão pouco caso da mídia elitista do Brasil com relação a uma situação tão revoltante. Fico envergonhada de ser parte integrante de um país que tem um presidente com seríssimos problemas mentais, um judiciário omisso e um parlamento entreguista, salvo raras exceções. Revoltante!!! Salve-nos Green!!!!!

  • Olisses
    11 junho 2019 at 21:15
    Comente

    É muito triste o que tá acontecendo no Brasil mas que justiça divina seja feita

  • Maria Santiago
    11 junho 2019 at 21:17
    Comente

    É ridículo ver como é imoral o sistema judiciário ser claramente partidário na pessoa do ministro Sérgio Moro. Ele é imoral e não tem nenhuma competência pra estar no cargo,ao qual está ocupando no país. Lula livre já!

  • Jorge
    11 junho 2019 at 21:32
    Comente

    Fico muito preocupado com tudo isso.Será que o judiciário perdeu a compostura, no caso do juiz Moro.ele batia o corner e corria para cabecear.
    Jorge Assis
    Campo Grande RJ.

  • Valdiléia
    12 junho 2019 at 16:11
    Comente

    Boa tarde. Não sou muito fã de política, muito menos dessas piadas que passam no JN (na maioria das vezes). A única coisa que tenho absoluta certeza é que os brasileiros estão cada vez mais alienados com tanta mentira que saem das bocas dos políticos em geral e dessa mídia cheia de espetáculos. O Brasil, país maravilhoso, lindo, onde tudo que é de mais belo tem que ser por obrigação destruído sempre com os mesmos diálogos. Fico grata em ver essa notícia verdadeira aqui. É disso que o Brasil vive atualmente, essa vergonha, onde a lei existe pra uns e pra outros não.

  • Wagner Franco Furo
    12 junho 2019 at 21:22
    Comente

    Foi isso que eu vi

  • Deixe uma resposta