Diário do Bolso: Luz de graça para as igrejas evangélicas

É que eu quero ser a luz para as igrejas evangélicas. Ou, pelo menos, quero dar luz de graça para elas.

Por José Roberto Torero*

Diário, eu quero ser luz, raio, estrela e luar.

Peralá! Deixa eu explicar melhor, senão parece música do Wando.

É que eu quero ser a luz para as igrejas evangélicas. Ou, pelo menos, quero dar luz de graça para elas.

Tanto que eu propus que os templos de grande porte não paguem mais conta de luz. Ou então que paguem só uma merrequinha.

É claro que alguém vai ter que arcar esse subsídio. E é claro que o mico vai parar nas contas residenciais. Sabe, vai ser até bonito ver um monte de ateu, umbandista e católico pagando a conta da Bispa Sônia.

E eu preciso puxar o saco dos evangélicos, pô!

Essa gente acredita em tudo o que Malafaia fala, em tudo que o Edir diz.

Pensa bem, Diário, se um cara é trouxa a ponto de dar dinheiro pra eles, não vai dar o voto dele pra mim? Claro que vai!

Por isso que eu já dei aval para manter os incentivos fiscais para igrejas até 2032. E também dei uma rasteira nos pernetas e liberei as igrejas de realizar adaptações para acessibilidade em áreas destinadas ao altar e ao batistério.

O que eu quero que os pastores cantem para mim: “Você é luz, raio, estrela e luar! Manhã de sol, meu iaiá, meu ioiô…”

*José Roberto Torero é autor de livros, como “O Chalaça”, vencedor do Prêmio Jabuti de 1995. Além disso, escreveu roteiros para cinema e tevê, como em Retrato Falado para Rede Globo do Brasil. Também foi colunista de Esportes da Folha de S. Paulo entre 1998 e 2012.

@diariodobolso

Categorias
Destaques
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

AfrikaansArabicChinese (Simplified)EnglishFrenchGermanItalianJapaneseKoreanPortugueseRussianSpanish

Relacionado com